Comportamento

Onde as periguetes se vestem

Os vestidos colados da marca da paulistana Nathalia Freitas fazem sucesso

Por: João Batista Jr.

Capa 2280 - Periguetes - Nathalia Freitas
Nathalia Freitas e suas clientes: vestidos em tamanhos PP, P e M (Foto: Antonio Milena)

Os modelitos têm 1,30 metro quadrado de tecido, uma mistura de elastano com poliamida, custam em média 200 reais e caem feito uma luva em corpos esculpidos na academia. Eles são confeccionados apenas nos tamanhos PP, P e M — portanto, excluem as mais gordinhas.

+ O ataque das periguetes em São Paulo

As peças são obra da estilista paulistana Nathalia Freitas, de 28 anos, que vem obtendo sucesso ao apostar num nicho de consumidoras. “Sou a rainha das periguetes”, define. “Chegar à balada com a minha roupa — eu juro de olhos fechados — é a garantia de atrair os olhares dos caras mais bonitos.”

Há dois anos, Nathalia criou a grife que leva seu nome em sociedade com o irmão, Bruno. Cerca de 300 vestidos são comercializados na loja do Tatuapé todo mês. “Muitas madames dos Jardins e do Morumbi nos visitam com frequência.” Orgulhosa da evolução da marca, ela conta que foi reconhecida por clientes em uma viagem recente a Campos do Jordão. “Sou o Alexandre Herchcovitch das gostosonas.”

+ Isabella Fiorentino dá dicas de moda

A estilista sonha um dia vestir sua musa, a apresentadora Luciana Gimenez. “Ela ganhou fama por sua beleza, namorou muitas celebridades e acabou se casando com um milionário baixinho. Esse é o sonho de toda periguete!” Enquanto isso não acontece, a estilista formada em relações públicas vai três vezes por semana a baladas como Disco, Mynt Lounge e Cafe de La Musique, onde distribui cartões de visita e, claro, fiscaliza as mocinhas mais assanhadas que ficam de olho em seu namorado, o DJ Rafael Lima.

Fonte: VEJA SÃO PAULO