História

Demônios da Garoa

Grupo surgiu na Mooca em 1943

Por: Jéssika Torrezan

Demônios da Garoa nos anos 1950 Mooca 2220a
Nos anos 50: Zezinho, Benedito Espanha, Arnaldo Rosa, Antônio Espanha, Bruno Michelucci e Artur Bernardo (em sentido horário, da esq. para a dir.) (Foto: Divulgação)

Referência quando o assunto é samba paulista, o grupo surgiu na Mooca em 1943, na casa de Arnaldo Rosa, na Avenida Cassandoca. Desde então, gravou sessenta discos, vendeu mais de 10 milhões de cópias e é um dos responsáveis pela popularização do sotaque típico atribuído aos moradores da região.

Após quase setenta anos, o quinteto atual mantém ligação com suas raízes. Ricardo Rosa, o percussionista, é filho de Sérgio, que toca pandeiro, e neto de Arnaldo, o fundador. Os shows de fim de semana do início da carreira se multiplicaram — a média atual é de quinze por mês —, mas os clássicos de Adoniran Barbosa, como "Trem das Onze", "Saudosa Maloca" e "Samba do Arnesto", continuam sendo o carro-chefe das apresentações. E o escritório segue até hoje na Mooca.

Demônios da Garoa 2220a
Formação atual: Roberto Barbosa (Canhotinho), Izael Silva, Ricardo Rosa, Dedé Paraíso e Sérgio Rosa (Foto: Divulgação)

Fonte: VEJA SÃO PAULO