Terraço Paulistano

Criações do chef Alberto Landgraf viram objetos de estudo acadêmico

Inspirada pelo trabalho de Landgraf, a historiadora Tatiana Lunardelli traçará um paralelo entre o processo criativo na arte e na gastronomia.

Por: Ricky Hiraoka - Atualizado em

Terraço Paulistano - Ed. 2305 - Tatiana Lunardelli e Alberto Landgraf
Tatiana e Landgraf: a historiadora registrará o processo criativo do chef (Foto: Fernando Moraes)

Responsável por pratos tão esculturais quanto apetitosos, o chef Alberto Landgraf, do Epice, virou alvo de estudo acadêmico. Durante um ano, a historiadora Tatiana Lunardelli o acompanhará às segundas-feiras, quando ele inventa novidades do cardápio, para uma tese de doutorado na Unesp que traçará um paralelo entre o processo criativo na arte e na gastronomia.

“Por ser uma análise visual, não poderei experimentar nada, para que o paladar não influencie as teorias”, conforma-se ela, que escolheu Landgraf como cobaia após se encantar com a plasticidade de suas iguarias no Instagram.

Em fotos e gravações de áudio, ela documentará o modo como o chef orienta a equipe, associa ingredientes e dispõe a comida na louça. Depois, vai atrás de comparações com estilos de pintores. Landgraf conta ter ficado “tímido” na primeira sessão, na semana passada. “Está sendo difícil errar nas experimentações sob o olhar atento de Tatiana.”

+ Nívea Stelmann: livro com dicas para se livrar dos homens-cilada

+ Dono da D-Edge investe em dois novos negócios

+ Marcelo Adnet e Dani Calabresa: voo-solo do casal 20 do humor

+ Coleções de estilistas brasileiros são apresentadas a empresários de NY

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO