Cidade

CET proíbe estacionamento em ruas da Vila Madalena durante a Copa

Placas foram instaladas nesta madrugada em quatro vias do bairro, surpreendendo alguns comerciantes e moradores 

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Vila Madalena - Trânsito
A proibição começou nesta quinta-feira (26) (Foto: Foto leitor)

Além do bloqueio de vias para carros por causa da grande concentração de pessoas na Vila Madalena durante os jogos da Copa, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) começou nesta quinta-feira (26) a proibir o estacionamento em algumas ruas do bairro. A medida é temporária. 

+ Vídeo mostra festa na Vila Madalena em dia de jogo do Brasil

+ Grupo se mobiliza contra 'Woodstock' da Vila Madalena

Até o fim do Mundial, não será permitido parar o carro nos dois lados das ruas Aspicuelta (entre as ruas Fidalga e Simão Alvares), Mourato Coelho (entre as ruas Inácio Pereira da Rocha e Wisard), Fradique Coutinho e Fidalga (em ambas entre as ruas Wisard e Inácio Pereira da Rocha).

Vila Madalena - Trânsito
Comerciantes e moradores questionaram os agentes da CET sobre a proibição (Foto: Foto leitor)

As placas que informam sobre a proibição foram instaladas durante a madrugada. Com isso, alguns comerciantes e moradores foram surpreendidos nesta manhã. A CET afirma que as medidas são necessárias "por causa do grande número de pessoas que se dirigem para a região para assistir aos jogos ".O bloqueio é válido o dia inteiro, não apenas nos horários das partidas.

Esquema especial

A operação da CET na Vila Madalena começa à meia-noite desta sexta-feira (27). Além da proibição de estacionamentos, não será permitido trafegar com veículos nos seguintes cruzamentos: Rua Wisard com Rua Girassol, Rua Girassol com Rua Aspicuelta, Rua Aspicuelta com Rua Simão Alvares, Rua Simão Alvares com Rua Ministro Costa e Silva, Rua Mourato Coelho com Rua Inácio Pereira da Rocha e Rua Cardeal Arcoverde, Rua Inácio Pereira da Rocha com Rua Fidalga, Rua Moraes com Rua Wisard, Rua Fradique Coutinho com Rua Purpurina, Rua Fidalga com Rua Purpurina.

Fonte: VEJA SÃO PAULO