Passeio

Saiba qual é a bike ideal para suas necessidades

Escolha o tipo de bicicleta indicado para cada estilo, seja para rodar na cidade, fazer trilha ou apenas passear pela ciclofaixa

Por: Marcus Oliveira - Atualizado em

Tag and Juice
Tag and Juice (Foto: Divulgação)

Pode parecer frescura, mas a bicicleta usada para ir de casa até o trabalho não deve ser a mesma que sobe e desce trilhas, por exemplo. A primeira deve ter um quadro mais leve e marchas para se adaptar às ruas, enquanto a segunda, suspensão dianteira e freio a disco.

Essas e outras diferenças precisam ser levadas em consideração na hora de comprar um modelo já pronto ou escolher peça por peça e fazer uma magrela com o seu jeito. Inclusive, isso ajuda a evitar lesões ou acidentes, de acordo com o especialista em bikes Eduardo Rocha, diretor da Cannondale Sports Unlimited Brasil, que recentemente comprou a empresa Caloi.

Avaliamos os aluguéis de bike na cidade

VEJASAOPAULO.COM procurou especialistas no assunto para saber o que é preciso ficar atento na hora de escolher como comprar ou montar uma bike para passear, ir ao trabalho ou fazer trilhas.

Orientação

Na cidade existem atualmente 60 quilômetros de ciclovias para 11 milhões de habitantes. Enquanto isso, Amsterdã, na Holanda, considerada a melhor cidade do mundo para pedalar, possui 500 quilômetros para 800 mil habitantes, percorridos por meio milhão de ciclistas diariamente.

Esses números estão bem distantes da realidade da capital. Mesmo assim, os trajetos dedicados aos ciclistas fazem com que aproximadamente 200 mil pessoas tirem suas bikes de casa para ir ao trabalho, segundo pesquisa realizada pelo Metrô em 2012.

tag and juice
A Tag and Juice, em Pinheiros, monta bikes customizadas para cada cliente (Foto: Divulgação)

Escolher um modelo ideal para rodar pela cidade, partir para uma trilha ou apenas passear nos fins de semana requer cuidados. Segundo o técnico da Shimano, Ronaldo Huhm, em uma loja de departamento, por exemplo, é possível achar variadas bikes para todas as necessidades. Com isso, não ter a orientação de um especialista é muito arriscado. “Os vendedores às vezes não têm o conhecimento ideal. Sendo assim, é possível comprar um modelo muito caro e não tirar o proveito maior dele.”

Já Eduardo Rocha, diretor da Cannondale Sports Unlimited Brasil, afirma que, independente do local onde o equipamento é comprado, é fundamental que o ciclista tenha bem definido o motivo para adquirir.

Comprar ou montar?

Em alguns casos é difícil encontrar uma bike ideal para o seu tamanho. A maioria das bicicletas femininas, por exemplo, fabricadas no Brasil, é do tamanho 19 (para alguém com mais ou menos 1,75 metro). Há poucas opções para a venda direta no tamanho 17 (para pessoas com 1,65 a 1,70 metro). O mesmo acontece com pessoas com mais de 1,85 metro, que precisam de uma bicicleta 22 ou maior.

Por esse motivo, espaços como a loja Tag and Juice têm ganhado uma gama de clientes interessados em criar bikes customizadas de acordo com uma série de questões como tipo físico do cliente, necessidades de uso e gostos pessoais como cor, cromagem e outros mínimos detalhes. Mas para isso é preciso preparar o bolso. As magrelas “potentes” podem custar de 3.800 a 5.500 reais.

Outros endereços como a Bike Runners, na Zona Leste, a Casa de Bicicletas Alberto, no centro, a Bicicletaria Ferrazoli, na Zona Norte, e a Bike Tech, na Consolação, também oferecem serviços personalizados.

Confira as dicas de Eduardo Rocha e Ronaldo Huhm para cada um dos modelos:

URBANA - a partir de 1 200 reais

bike-urbana
(Foto: Divulgação)

1 - marcha de no mínimo 21 velocidades, para utilizar no caso de ladeiras;

2 – uso de paralamas para evitar que objetos ou água atinjam as costas;

3 – banco confortável e macio;

4 – pneu misto para trilha e asfalto;

5 – bagageiro para carregar uma peça de roupa ou mala, por exemplo. Tente incluir um pezinho para utilizar no caso de deixa-la em pé;

6 – escolha um quadro que não exija muita envergadura do corpo, fazendo com que a coluna fique reta, deixando a posição mais confortável possível;

7 – quadro pode ser mais pesado e o aro 700 oferece mais estabilidade para o ciclista.

DOBRÁVEIS - a partir de 1 500 reais

bike-urbana-dobravel
(Foto: Divulgação)

1- pode ser feita de alumínio, material mais leve;

2 - inclui bagageiro e paralama;

3 - câmbio com no mínimo sete velocidades para melhor desempenho nas subidas;

4 - aro 20, ideal para o tamanho da bike;

5 - banco confortável.

Obs: vale lembrar que ítens como luz de segurança, buzina e retrovisor são obrigatórios para pedalar nas ruas da cidade.

PASSEIO - a partir de 800 reais

bike-passeio
(Foto: Divulgação)

1- aro 26, o mais usado e facilmente encontrado em lojas variadas;

2 - não precisa de um freio a disco ou mais potente;

3 - dispensa o uso de muitas marchas;

4 - pneu para asfalto e terra, sem muitos cravos;

5 - banco confortável;

6 - guidão que ajuda a deixar a posição do corpo ereta.

TRILHA - a partir de 2 500 reais

bike-mountain
(Foto: Divulgação)

1 – Amortecedor de ponta;

2 – Suspensão dianteira;

3 – Freio a disco;

4 – aro 29;

5 – pneu com cravos e borracha macia;

6 – marcha de no mínimo 24 velocidades;

7 – quadro feito de carbono.

Fonte: VEJA SÃO PAULO