Astronomia

Chuva de estrelas cadentes pode ser vista em São Paulo

Fenômeno acontece até 15 de agosto e fica mais visível a olho nu após às 22h

Por: Marcus Oliveira - Atualizado em

Os paulistanos podem apreciar até o dia 15 de agosto uma verdadeira chuva de estrelas cadentes. O fenômeno típico desta época do ano é visualizado a olho nu a partir das 22h. Ele acontece por causa dos meteoritos que passam entre a Terra e a constelação de Aquário, segundo o pesquisador da Divisão de Astrofísica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), José Willians Vilas Boas.

O especialista explica que os riscos de luz que passam pelo céu são pequenos meteoros que vagam pelo sistema solar e estão a aproximadamente 110 quilômetros da Terra. Vilas Boas diz que essas "pedrinhas" se derretem quando passam pelo sistema solar e, ao se espalharem e seguirem cometas, esbarram com feixes de luz que formam as imagens no céu.

+ Ensaio mostra intimidade de pais com seus bebês

O pesquisador afirma que essa chuva não representa nenhuma ameaça para o planeta, já que os meteoros são todos monitorados por centros de controle no mundo.

Fenômenos ainda mais intensos podem ser vistos em outros períodos do ano. O mais interessante, segundo Vilas Boas, acontece ente 7 e 17 de dezembro, com pico no dia 13, quando é possível avistar cerca de 120 meteoros por hora, contra os 20 que podem ser vistos durante julho e agosto.

+ Edir Macedo quer criar a Meca paulistana, diz Silas Malafaia

Observação

Quem pretende visualizar com mais nitidez deve buscar um ponto da cidade onde seja possível observar o horizonte. (Confira aqui uma lista de lugares para ver São Paulo do alto).

+ Confira o que acontece agora na cidade

Em seguida, vale recorrer a uma ajuda tecnológica. Segundo o especialista, existem aplicativos gratuitos para celular e tablet que identificam onde nascem as constelações. "É só olhar na direção certa e esperar os meteoros ou estrelas cadentes surgirem."

Fonte: VEJA SÃO PAULO