Arte urbana

Cavalete Parade e outras ações online atentam para sujeira eleitoral

Propagandas políticas servem de base para criação de obras de arte

Por: Fernanda Bonadia - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Após os rinocerontes e as vacas ocuparem o principal centro financeiro de São Paulo, neste sábado (29) os cavaletes é que vão colorir a Avenida Paulista a partir das 13h. Eles fazem parte de um movimento iniciado no Facebook para chamar a atenção da população para a propaganda irregular feita por alguns candidatos à prefeitura e à Câmara dos Vereadores.

A Cavalete Parade foi idealizada pelo publicitário Victor Britto, 24 anos, e pelo ilustrador Marco Furtado, 28 anos. “Como eu e o Marco trabalhamos com arte, a gente pensou em chamar alguns amigos para fazer uma exposição e pintar alguns cavaletes que estivessem jogados em ruas e praças”, conta Britto. Para isso, eles criaram uma página na rede social em uma sexta à noite e convidaram os mais chegados. Já na segunda-feira, 300 pessoas tinham curtido a ideia, fazendo a proposta se multiplicar.

+ Capa da semana: A perigosa aliança da fé

Atualmente, há nove eventos oficiais da dupla — em Belo Horizonte, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Moradores de outras sete cidades espalhadas pelo país começaram a se organizar por conta própria, inspirados pela ideia.

A repercussão foi tamanha que até políticos procuraram os criadores para debater o movimento, mesmo tendo esclarecido que o evento criado por eles é apartidário. O que os amigos querem mesmo é incentivar os eleitores a refletirem sobre suas escolhas. “O voto consciente precisa ser estimulado de diversas formas. Nossa ação é uma delas. E o principal objetivo é fazer com que a Cavalete Parade não precise acontecer nas próximas eleições”, enfatiza.

+ Com urnas em lixeiras, grupo alerta sobre importância do voto

Para participar da exposição neste sábado, basta retirar a placa de compensado ilícita na rua, levá-la embora e, então, cobrir todo o suporte com arte. Mas fique atento: apenas as propagandas irregulares devem ser retiradas. “Remover ou danificar algum cavalete que esteja devidamente empregado é crime. Já a remoção dos irregulares entra como uma medida protetiva do espaço público”, orienta Britto. Confira abaixo quais propagandas são ou não legais.

A mostra vai ocorrer entre 13h e 16h. Os artistas que quiserem guardar a própria obra deverão retirá-la na meia hora seguinte. Depois, os visitantes que gostarem de algum cavalete ainda exposto, poderão levá-lo para casa. “É como se fosse um bazar de arte gratuito”, compara o publicitário.

+ Os sete pecados da Câmara Municipal

MOVIMENTAÇÃO VIRTUAL

Embora com maior número de seguidores — totalizando 18.094 "curtir" até o fechamento desta matéria —, a Cavalete Parade não é a única página no Facebook que quer o fim da sujeira criada pelas companhas políticas. Encontramos outros cinco movimentos que visam chamar a atenção do eleitorado. São eles:

■ “Sujo sua cara” — 6.298 curtiram

■ “Quem suja agora, vai sujar depois” — 4.741 curtiram

■ “NÃO ao Lixo Eleitoral” — 3.578 curtiram

■ “Brasileiro Anônimo” — 2.506 curtiram

■ “Polútil” — 348 curtiram

 

DENTRO E FORA DA LEI

Confira abaixo as propagandas permitidas e o que é ilícito nas eleições de 2012, de acordo com o TRE-SP

Proibições

  • Outdoor — é totalmente proibido, independente de sua destinação ou exploração comercial (não entra nessa categoria a placa menor que 4 metros quadrados afixada em propriedade particular)
  • Camisetas, bonés, brindes, cestas básicas e outros bens — não podem ser confeccionados ou distribuídos por candidato nem comitê, por proporcionarem vantagem ao eleitor
  • Showmício ou evento similar não podem ser realizados
  • Artistas — não podem animar comício e reunião eleitoral, independentemente se recebem remuneração ou não
  • Repartições, postes de iluminação, semáforos, viadutos, pontes, pontos de ônibus e outros bens públicos — não podem ser usados como suporte para propagandas políticas de qualquer natureza
  • A mesma proibição vale para árvores e jardins, muros, cercas e tapumes divisórios localizados em áreas públicas

Permissões

  • Faixas, placas, cartazes e pinturas — devem ser fixados em propriedades particulares, desde que não excedam o tamanho de 4 metros quadrados, sejam espontâneas e sem qualquer tipo de pagamento em troca do espaço
  • Cavaletes, bonecos, cartazes, bandeiras e mesas de distribuição de material de campanha — podem ser colocados em ruas e avenidas apenas entre 6h e 22h, e desde que não impeçam a passagem de pessoas e veículos
  • Folhetos, santinhos e outros materiais impressos — sua distribuição só pode ocorrer entre 6h e 22h
  • Comícios, trios elétricos e carros de som — devem acontecer entre 8h e meia-noite

Fonte: VEJA SÃO PAULO