Três perguntas para Fabíola Nascimento

Atriz da novela Boogie Oogie, a paranaense está em cartaz nos cinemas com Não Pare na Pista e Estação Liberdade.

O que mudou na sua carreira desde que você foi revelada na comédia Estômago, de 2008?

O filme me abriu portas, mudei do Paraná para o Rio de Janeiro e tenho emendado um trabalho no outro. Nas folgas da televisão, eu faço cinema. É uma loucura, mas está dando certo. Em sete anos, foram quinze longas, três novelas e duas séries.

+ 10 dicas de passeios para se sentir em Buenos Aires

Você é ligada ao humor. Pretende mostrar outro lado fazendo papéis dramáticos, como em Não Pare na Pista?

Amo que a plateia gargalhe. O público me vê fazendo humor, mas muitas vezes não liga a personagem à atriz. Isso é um dos maiores elogios para mim. Não me importa se é drama ou comédia, me interessam mesmo os desafios que o papel oferece.

+ Cafés e docerias que servem bolos com receita caseira

Estação Liberdade tem como protagonista um ator de ascendência japonesa. Por que isso ainda é raro na filmografia nacional?

O cinema brasileiro vem numa crescente. Estamos aumentando o público e isso trará novas histórias e personagens. É uma questão de tempo para o cinema poder abraçar a diversidade cultural do país. 

 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s