O feminismo pop de Teresinha Soares chega ao Masp

Pinturas, gravuras e cartazes mostram o corpo feminino como temática principal

Nascida em Araxá, em 1927, a mineira Teresinha Soares (acima) foi a primeira vereadora de sua cidade. Também foi miss, funcionária pública e professora. Entre 1965 e 1976, ela passeou pelas artes visuais e levou para a produção seus ideais ativistas em defesa dos direitos da mulher.

Quem Tem Medo de Teresinha Soares? é a primeira grande individual da artista nos últimos quarenta anos e reúne mais de cinquenta obras do período no 2° subsolo do Masp.

Pinturas, gravuras, cartazes, objetos e recriação de performances mostram o corpo feminino como temática principal, abordando desde a sua relação com os costumes morais até o consumo e o erotismo.

Casa Suspeita: primeira grande individual da artista nos últimos quarenta anos (Jorge Bastos/Veja SP)

Com um quê de pop, a obra Casa Suspeita, por exemplo, denuncia veladamente as agressões em prostíbulos da época (a peça foi produzida durante o regime militar). Em 1976, Teresinha largou os pincéis. Desde então, a hoje nonagenária não produziu mais um trabalho sequer.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s