publicidade

Resenha por Miguel Barbieri Jr

Pegue uma atriz gracinha e um galã de corpo sarado. Contrate um diretor que fez a alegria de meninas e meninos, respectivamente em “Legalmente Loira” (2001) e “A Verdade Nua e Crua” (2009), para comandar um roteiro na linha “Sr. & Sra. Smith”. A receita prometia, mas o bolo desandou, como o espectador poderá checar na aventura “Par Perfeito”. Nada contra os astros Katherine Heigl e Ashton Kutcher. Eles fazem tal e qual manda o figurino — enquanto ela solta gritos histéricos, ele exibe o abdômen tanquinho. Atrás das câmeras, o cineasta Robert Luketic só cumpre tabela. O problema da fita está, justamente, em não emplacar como nada. Na pretensão de ser comédia, procura extrair o humor a fórceps. Ação, espionagem, romance ou suspense? O filme também deixa a desejar nesses gêneros. Deslumbrantes imagens de Nice, na Riviera Francesa, abrem um espetáculo visualmente empolgante. É para lá que vai a americana Jen Kornfeldt (Katherine) após levar um passa-fora do namorado. Arrasada e acompanhada dos pais (papéis de Tom Selleck e Catherine O’Hara), Jen só consegue se reerguer emocionalmente quando conhece o boa-pinta Spencer Aimes (Kutcher). Três anos depois, já casados, a verdade vem à tona. Spencer era matador de aluguel e largou o “emprego” para se entregar a uma vidinha em família num condomínio dos Estados Unidos. Jen descobre o passado do marido e, a partir daí, a relação deles e o roteiro afrouxam. Recentemente, Tom Cruise e Cameron Diaz fizeram uma tentativa (melhorada) de unir os mesmos ingredientes em “Encontro Explosivo”. Aqui, não há piada nem enredo que parem de pé para sustentar a fragilidade de uma história capaz de pôr duas estrelas em ascensão em maus lençóis. Estreou em 27/08/2010.


publicidade