Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Prefeitura autoriza reabertura de concessionárias e escritórios em SP

As medidas de reabertura foram apresentadas nesta quinta-feira pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) em coletiva à imprensa

Por Redação VEJA São Paulo 4 jun 2020, 17h20

Concessionárias e escritórios serão autorizados a abrir na cidade de São Paulo a partir desta sexta-feira (5). As medidas de reabertura foram apresentadas nesta quinta-feira pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) em coletiva à imprensa. Segundo o tucano, os protocolos estão sendo assinados nesta quinta-feira (4) e passam a valer a partir de amanhã.

Os estabelecimentos da capital poderão funcionar por apenas quatro horas por dia. A abertura e o fechamento dos negócios também devem acontecer fora dos horários de pico de trânsito na cidade — ou seja, eles não poderão abrir depois das 7h e antes das 10h no período da manhã, e no período das 17h às 20h, à noite.

Entre os protocolos exigidos pela prefeitura estão o distanciamento de 1,5 metros entre as pessoas, com demarcações e barreiras físicas, e o estímulo ao trabalho remoto, principalmente para mães com filhos pequenos. Funcionários dos grupos de risco para a Covid-19 também devem evitar o trabalho presencial e a limitação de 20% de público nos espaços deve ser respeitada.

Escritórios e concessionárias que escolherem reabrir precisarão disponibilizar álcool em gel, água, sabão e toalhas descartáveis, intensificar medidas de limpeza e reforçar a higienização do sistema de ar condicionado. O uso de máscaras por funcionários e clientes torna-se obrigatório, e as empresas devem fazer a medição de temperatura, além de testar os profissionais que apresentem os sintomas do novo coronavírus.

Na coletiva, Covas afirmou que, até quarta-feira (3), a prefeitura recebeu 74 propostas de reabertura — 42 são dos cinco setores que estão na segunda fase do plano de reabertura doo estado de São Paulo. As outras 32 são de setores das demais fases do Plano São Paulo.

Questionado sobre como a prefeitura se planeja para a reabertura de áreas econômicas da cidade, o prefeito também informou que 2 000 ônibus entrarão em circulação de acordo com a demanda da SPTrans. Hoje, a frota é de 2 400 veículos. Até esta quarta-feira (3), a capital paulista tem 72 171 casos confirmados de Covid-19 e 4 480 óbitos. Já a ocupação de leitor de UTI na capital é de 64%.

Continua após a publicidade

Publicidade