Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Covid-19: dois hospitais municipais têm 100% de leitos de UTI ocupados

Unidades da rede estão sendo afetadas com o aumento do número de casos da doença

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 4 jan 2021, 12h52 - Publicado em 4 jan 2021, 12h38

Na cidade de São Paulo, dois hospitais municipais têm os leitos de UTI destinados para Covid-19 lotados, ou seja, com 100% de ocupação. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde publicados nesta segunda-feira (4), os hospitais Vila Santa Catarina e Santa Casa de Santo Amaro estão sem vagas. Ambos ficam localizados na Zona Sul. 

Com a elevação do número de internações, outros hospitais da rede também estão sendo atingidos. O Hospital da Brasilândia registra 74% de ocupação, o Hospital de Parelheiros tem 43% e o Hospital da Guarapiranga chega a 54%. 

A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 61,8% no estado. Na Grande São Paulo é superior, 64,9%. O total de casos confirmados de Covid-19 alcançou 1.471.422. São 37 novas mortes nas últimas 24 horas no estado. O total de óbitos registrados desde o início da pandemia pela doença chegou a 46.845 no estado de São Paulo.

Flexibilização

Após três dias na Fase 1-Vermelha do Plano São Paulo, em que somente podiam ser abertos os serviços considerados essenciais, a maior parte do estado de São Paulo volta, a partir desta segunda-feira (4), para a Fase 3-Amarela. A exceção é para a região de Presidente Prudente, que vai permanecer na Fase 1-Vermelha, a mais restritiva.

A medida vale, pelo menos, até o dia 7 de janeiro, quando o governo estadual deve anunciar uma nova classificação do Plano São Paulo. O governo já anunciou que nenhuma região do estado vai evoluir para a Fase 4-Verde em janeiro.

+Assine a Vejinha a partir de 5,90

Continua após a publicidade
Publicidade