Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

São Paulo avalia retomada de fase menos restritiva no estado

Mesmo com ocupação dos leitos de UTI em 86%, governo vê melhora nos indicadores da Covid-19

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 15 abr 2021, 18h45 - Publicado em 14 abr 2021, 19h37

O governo de São Paulo avalia classificar algumas regiões do estado em fases menos restritivas de isolamento social nesta sexta-feira (16). O motivo seria “uma melhora significativa” nos indicadores da Covid-19, segundo a gestão. 

O estado de São Paulo registrou 1.095 óbitos por coronavírus nas últimas 24 horas e tem ocupação de 86,4% de leitos de UTI nesta quarta (14). Especialistas alertam que uma taxa de lotação acima de 80% indica que o estado segue com problemas no sistema de saúde.

Todo o estado está classificado na fase vermelha do Plano São Paulo desde a segunda-feira (12), após 28 dias de fase emergencial.

A secretária de Desenvolvimento Econômico do estado, Patrícia Ellen, afirmou nesta quarta-feira (14) que o governo está “acompanhando diariamente as informações para que, na próxima sexta-feira, nós tenhamos a visão de como será a aplicação do plano nas próximas semanas”. A secretária ainda afirmou que “tendo melhores resultados nos próximos dias, nós poderemos seguir avançando na retomada das atividades econômicas”.

O secretário estadual da Saúde Jean Gorinchteyn alegou que houve uma “boa evolução” nos indicadores da pandemia no estado. A razão seria a implementação das fases emergencial e vermelha. As mortes pela Covid-19 em São Paulo, no entanto, tiveram aumento de 13% na última semana. O secretário afirmou que os óbitos “não configuram o momento atual da dinâmica da epidemia no nosso estado”.

A região metropolitana de São Paulo está com 84,9% de ocupação de leitos de terapia intensiva. Para Patrícia Ellen, o índice é um “grande avanço”. “Nós tivemos grandes avanços em outras regiões. A Grande São Paulo, como um exemplo, está com 85,8% de ocupação, na verdade, melhor que isso até, na taxa de ocupação do dia nós temos 83% na ocupação da Grande SP”, afirmou. 

Os indicadores de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e o total de pacientes internados com Covid-19 no estado pararam de subir em abril após altos índices em março. No entanto, as mortes e casos da doença ainda não registraram queda. 

O estado de São Paulo ainda vive um cenário de escassez de medicamentos para intubação de pacientes com Covid-19. Durante a mesma coletiva de imprensa em que a gestão considerou os avanços no indicadores de saúde, o secretário da Saúde enviou ofício ao Ministério da Saúde em que faz apelo pelo chamado “kit intubação”. Ele alegou que o estado necessita do envio, em até 24 horas, para evitar colapso nos hospitais do estado.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade