Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Falta de 2ª dose da AstraZeneca afeta 51% das Unidades Básicas de Saúde

Prefeitura alega que problema ocorre após Ministério da Saúde descumprir cronograma de entrega de lote para segunda dose

Por Redação VEJA São Paulo 9 set 2021, 11h39

A falta de 2ª dose da vacina AstraZeneca afeta 51% das 468 Unidades Básicas de Saúde da cidade de São Paulo, segundo informou o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, na manhã desta quinta-feira (9). As informações são do G1.

De acordo com Aparecido, às 14h30 desta quarta-feira (8), todas as unidades registravam cerca de 38 mil doses de AstraZeneca para a aplicação da segunda dose. O secretário alega que o problema ocorre após Ministério da Saúde descumprir cronograma de entrega de lote para segunda dose, o que provocou desabastecimento.

A Secretaria calcula que sejam necessárias pelo menos 80 mil doses para completar o esquema vacinal da população. Entretanto, Aparecido afirma que não há perspectiva para que a secretaria Municipal da Saúde receba novas doses de AstraZeneca do governo do estado, que, por sua vez, apenas distribui os imunizantes enviados pelo Ministério da Saúde.

Na sexta (3), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou que vai ficar duas semanas sem entregar doses de AstraZeneca para o Ministério da Saúde. A paralisação temporária da entrega pode prejudicar quem está para completar o ciclo vacinal.

Houve atraso na entrega do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), que é o componente usado para fabricar a vacina. O composto é importado da China.

As próximas entregas da Fiocruz estão programadas para acontecer entre os dias 13 e 17 de setembro. A fundação informou que vai entregar 15 milhões de doses neste mês.

LEIA MAIS | De balada a Fórmula 1, São Paulo prepara retomada gradual

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade