Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Estudante de 22 anos sem comorbidades morre de Covid-19

Matheus Lopes de Carvalho defendia o isolamento social na web e o seguia rigidamente; o jovem foi infectado na metade de maio e faleceu neste domingo (6)

Por Redação VEJA São Paulo 7 jun 2021, 18h04

Um estudante de 22 anos sem comorbidades morreu, na madrugada deste domingo (6), de complicações da Covid-19 em Santos, no litoral paulista. Segundo a mãe de Matheus Lopes de Carvalho, o jovem praticava quarentena rígida desde o começo da pandemia e defendia o isolamento social na internet. Matheus começou a ter sintomas da doença dia 12 de maio e foi internado cerca de uma semana depois.

“Ele se cuidava muito e sempre fazia postagens conscientizando sobre a importância da vacinação e dos cuidados contra a doença”, disse a professora Katherine Lopes de Oliveira, de 42 anos, em entrevista ao G1.

A mãe conta que, por conta de ela ter comorbidades e eles morarem com a avó, o filho só saía de casa quando precisava de serviços essenciais, como ir ao mercado, farmácia, médico e, que, recentemente, precisou ir a uma ótica para fazer o óculos novo. 

“Ele não saiu por um ano e meio de casa. Eu sou asmática e tenho pressão alta. Minha mãe tem 77 anos, então como ele ajudava a cuidar dela, sempre tomou muito cuidado com medo de nos infectar”, relata.

Katherine contou ao G1 que Matheus teve os primeiros sintomas da Covid-19 quando acordou no dia 12 de maio, estava com dor de cabeça e febre. O jovem foi ao hospital, tomou medicação e, com medo de estar infectado, já se isolou em seu quarto. Dois dias depois de ir ao médico ele estava bem pior, então foram ao pronto-socorro e lá o estudante teve o resultado positivo para a doença no teste. Com isso, eles receberam medicação para tratamento em casa.

“Ele ficou desesperado [com o resultado positivo], chorou muito, estava com medo de contaminar eu e a avó. Mas, uma semana após o tratamento em casa, ele precisou ser internado na Casa de Saúde de Santos“, explica a mãe do menino.

Internado desde o dia 21 de maio, o quadro de Matheus foi piorando, ele teve que ser intubado em um momento, e ele acabou não resistindo, morreu na madrugada do domingo. Seu corpo foi sepultado no mesmo dia, no Cemitério da Filosofia.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade