Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Estado lança plano de enfrentamento a varíola dos macacos

Entre as medidas estão a criação de protocolos de atendimento, ampliação de rede de diagnóstico e serviço de orientação 24 horas para profissionais

Por Clayton Freitas Atualizado em 4 ago 2022, 13h52 - Publicado em 4 ago 2022, 13h41

O governo estadual anunciou nesta quinta-feira (4) a criação de um plano para enfrentamento a propagação da varíola dos macacos. Entre as medidas estão a criação de protocolos de diagnósticos e assistência, rede de laboratórios para testagem, preparo para que 93 hospitais possam receber casos mais graves,  um comitê reunindo 24 especialistas e ainda um serviço 24 horas de orientação aos profissionais de saúde.

+Acciona obtém R$ 6,9 bilhões do BNDES para linha 6-laranja do metrô

Dados do Ministério da Saúde indicam que 75,4% do total dos casos do Brasil foram diagnosticados no estado de São Paulo (1 298 de 1 721). A capital superou a barreira dos 1 000 casos, tendo a maior concentração da doença no país.

O plano anunciado hoje pelas secretarias de Estado da Saúde e a pasta de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde não prevê nenhuma medida de restrição ou mesmo recomendações adicionais relacionadas às máscaras, volta às aulas ou nos transportes públicos. Em essência, tratam-se de preparativos para a rede de saúde sob a responsabilidade dos órgãos de controle do governo estadual.

Na terça-feira (2), a Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de São Paulo já havia orientado os seus profissionais e também professores e demais trabalhadores da educação em relação às medidas de cuidado, prevenção, transmissão, notificação e isolamento.

+Justiça permite retomada de saltos de paraquedas em Boituva

No anúncio feito nesta quinta-feira pelo governo estadual, foram definidos os 93 hospitais estaduais e maternidades que serão referência e que receberão os casos mais graves e que necessitem de isolamento e internação. Atualmente, os casos têm sido concentrados no Instituto de Infectologia Emílio Ribas. A ideia é que outras unidades, principalmente as ligadas aos hospitais universitários, também ampliem o atendimento a esses casos.

Continua após a publicidade

As grávidas terão atenção especial. Caso elas sejam diagnosticadas com a varíola dos macacos, ela será acompanhada e seu parto deve ser feito em uma unidade de alto risco, e será priorizada a cesárea, e não o parto natural.

+Ministro do STF mantém condenação de policiais por massacre do Carandiru

Outra medida é credenciar mais laboratórios para a realização de exames de PCR em tempo real e RT-PCR. Atualmente, os laboratórios desenvolvem os testes chamados de in house, ou seja, com desenvolvimento de tecnologia próprios, porém, eles precisam enviar todas as amostras para o Instituto Adolfo Lutz. A ampliação da rede prevê que isso possa ser feito também para o Instituto Butantan e laboratórios universitários e privados.

As ações ainda incluem lives para atualização dos profissionais de saúde, um serviço 0800, com médicos plantonistas 24 horas para orientar e esclarecer dúvidas dos profissionais de saúde das redes pública e privada sobre a doença, e um centro de controle e integração, que terá a participação de 24 especialistas de diferentes áreas, tais como cientistas, epidemiologistas, virologistas, infectologistas e professores universitários. Esse grupo funcionará em forma semelhante ao extinto comitê científico que ajudou o governo estadual no combate à Covid-19, analisando os cenários epidemiológicos e propor medidas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês