Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Doria cogita prender cidadãos que descumprirem distanciamento social

Fim de semana será tomado como um teste para tomada de medidas mais duras pelo governo e prefeitura

Por Tatiane de Assis Atualizado em 10 abr 2020, 14h00 - Publicado em 10 abr 2020, 12h50

Na noite de ontem (9), na segunda edição do SPTV, o governador do estado João Doria falou sobre a diminuição do isolamento social, que chegou a 50% na quarta (8): “Nós vamos fazer o teste no final de semana, se a gente não elevar esse nível para mais de 60%, para caminharmos para 70% na próxima semana, não apenas o governo do estado mas a prefeitura de São Paulo tomarão medidas mais rígidas.”

Ao detalhar quais seriam essas medidas, o governador disse: “Eu gostaria de evitá-las porque medidas mais rígidas significam que as pessoas poderão não apenar receber advertências e multas, mas também voz de prisão.” O monitoramento da população ocorre por meio dos celulares dos cidadão. Dos 645 municípios do estado, 141 já têm casos registrados de coronavírus.

“O isolamento social não são férias sociais. As pessoas precisam ter compreensão disso. Não basta você se deslocar da capital ou da região metropolitana para o interior ou litoral para estar a salva, na verdade, você está inclusive aumentando o potencial de risco nessas regiões”, sublinhou o governador.

Doria e Mandetta alinhados

A fala de Doria está em sintonia com o ministro da saúde, Henrique Mandetta, que também se pronunciou sobre o aumento da circulação:  “Hoje, eu vi que o pessoal começou a andar mais. Vamos pagar esse preço ali na frente. Esse vírus adora aglomeração, adora contato. Adora que as pessoas achem que ele é inofensivo. E aí, as cidades podem pegar a transmissão sustentada.”

  • Continua após a publicidade
    Publicidade