Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Doria diz que SP não registrou efeitos adversos por lotes suspensos da CoronaVac

Antes do caso, São Paulo distribuiu 4 milhões de doses da leva de vacinas

Por Agência Brasil Atualizado em 8 set 2021, 15h24 - Publicado em 8 set 2021, 15h21

O governador de São Paulo, João Doria, disse nesta quarta-feira (8) que o estado não registrou qualquer intercorrência relacionada aos lotes da vacina CoronaVac que foram suspensos  pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ou seja, ele disse que não foram detectados quaisquer sintomas adversos nas pessoas que tomaram esse imunizante. Antes da suspensão, São Paulo já havia distribuído 4 milhões de doses desse imunizante.

Desse total, 224.737 doses ainda não foram aplicadas e vão permanecer armazenadas até que a Anvisa analise e libere esses lotes.

A CoronaVac é uma vacina que está sendo produzida pelo Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac e é aplicada em duas doses.

Segundo o governo paulista, a Secretaria estadual da Saúde está monitorando os pacientes que tomaram a vacina CoronaVac desses lotes que foram suspensos pela Anvisa. As pessoas que receberam essas doses, de acordo com o governo de São Paulo, vão ser observadas por 30 dias como medida preventiva.

  • De acordo com o governo paulista, antes da distribuição para a população, essas doses passaram por rigoroso controle de qualidade e foram certificadas pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade (INCQS), órgão da Fiocruz, responsável pela avaliação da qualidade de todos os imunizantes distribuídos no Brasil. As vacinas foram validadas e, portanto, tiveram a qualidade garantida para a utilização na população.

    Continua após a publicidade
    Publicidade