Clique e assine com até 89% de desconto

Tan Tan

(Desde 2015)

Tipos de Bares: Bar-restaurante

VejaSP:

Endereço: Rua Fradique Coutinho, 153 - Pinheiros - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 23733587

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira 18:00 - 22:00

quarta-feira 18:00 - 22:00

quinta-feira 18:00 - 22:00

sexta-feira 18:00 - 22:00

sábado 18:00 - 22:00

domingo 18:00 - 22:00

Fecha no último domingo do mês

Informações adicionais: Entrega em domicílio, Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (38), Levar vinhos (permite)

Resenha por Saulo Yassuda

Aqui se bebe e se come muito bem. Dá gosto de ver o chef Thiago Bañares à frente da cozinha, aberta para o salão, no comando da equipe que executa pratos cada vez melhores — por isso a casa recupera a quarta estrela perdida. Os preparos não se resumem ao macarrão que deu fama ao bar, que perdeu o aposto “Noodle Bar” do nome. Receita japonesa com um pé na Espanha, o ajillo de ostra (R$ 49,00, com pão) leva o molusco com cogumelo-de-paris no azeite temperado com alho, saquê, shoyu, nirá e cebolinha mais um toque de pimenta. É um senhor aperitivo, assim como o guioza de porco com repolho, de massa elástica e firme, tostado e servido junto de molho de shoyu e vinagre de acidez pungente (R$ 29,00, quatro unidades). Vale a pena esperar os mais de vinte minutos que o kinoko kamameshi (R$ 110,00, para dois) leva para ser feito. O arroz japonês é cozido no caldo dashi com trio de cogumelos, e o calor da panela onde é apresentado ajuda a construir uma casquinha gostosa de comer. Talento do Rio de Janeiro que agora mostra seu trabalho na capital, o bartender Alex Mesquita montou a carta de drinques e passa uma parcela de cada mês no balcão. Docinho e com frescor, o cantaloupe island (R$ 32,00) mistura bourbon, ginger ale, xarope de melão, suco de limão e Angostura.

Informações checadas entre outubro e novembro de 2020. 

    Aqui se bebe e se come muito bem. Dá gosto de ver o chef Thiago Bañares à frente da cozinha, aberta para o salão, no comando da equipe que executa pratos cada vez melhores — por isso a casa recupera a quarta estrela perdida. Os preparos não se resumem ao macarrão que deu fama ao bar, que perdeu o aposto “Noodle Bar” do nome. Receita japonesa com um pé na Espanha, o ajillo de ostra (R$ 49,00, com pão) leva o molusco com cogumelo-de-paris no azeite temperado com alho, saquê, shoyu, nirá e cebolinha mais um toque de pimenta. É um senhor aperitivo, assim como o guioza de porco com repolho, de massa elástica e firme, tostado e servido junto de molho de shoyu e vinagre de acidez pungente (R$ 29,00, quatro unidades). Vale a pena esperar os mais de vinte minutos que o kinoko kamameshi (R$ 110,00, para dois) leva para ser feito. O arroz japonês é cozido no caldo dashi com trio de cogumelos, e o calor da panela onde é apresentado ajuda a construir uma casquinha gostosa de comer. Talento do Rio de Janeiro que agora mostra seu trabalho na capital, o bartender Alex Mesquita montou a carta de drinques e passa uma parcela de cada mês no balcão. Docinho e com frescor, o cantaloupe island (R$ 32,00) mistura bourbon, ginger ale, xarope de melão, suco de limão e Angostura.

    Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.