Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Tan Tan

(Desde 2015)

Tipos de Bares: Asiáticos

VejaSP:

Endereço: Rua Fradique Coutinho, 153 - Pinheiros - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 23733587

Site: tantannb.com.br

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira 19:00 - 23:00

quarta-feira 19:00 - 23:00

quinta-feira 19:00 - 23:00

sexta-feira 19:00 - 23:00

sábado 12:00 - 17:00 - 19:00 - 23:00

domingo 19:00 - 23:00

Fecha no último domingo do mês

Informações adicionais: Entrega em domicílio, Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (55), Levar vinhos (permite)

Resenha por Saulo Yassuda

A calçada parece pequena para o sucesso do bar-restaurante. Não é difícil ver o público esperando lá fora por um lugar na casa do chef Thiago Banãres, mesmo com a duplicação do salão, três anos atrás. Apesar da expansão dos negócios do cozinheiro, que abriu o Kotori em fevereiro, o Tan Tan continua sendo o queridinho do público. O atraente cardápio, em constante mutação, é inspirado no Japão e na China. Em um espirituoso trocadilho com o nome da banda de rock americana Skid Row, o squid row (R$ 45,00) é um ótimo sanduíche de lula à dorée, maionese de nirá, rodelas de cebola-roxa, picles de pepino e queijo prato em um bonito pão de hambúrguer dourado. Na ala dos dumplings são encontrados pasteizinhos à moda chinesa, como o shoronpo, cozido no vapor. Com formato de trouxinha e recheio de cebola e cogumelo ao curry (R$ 27,00), é umedecido com molho de shoyu, óleo de cebolinha e vinagre. O beef lo mein (R$ 55,00) é um macarrão salteado na panela wok com tiras de carne, acelga bok choy crocante e tiras largas de cebola, tudo temperado com molho de ostra. Porção farta, que dá até para compartilhar. A comida pode ser amparada com saquês, cervejas e vinhos, vindos de uma lista curtinha. Mas é quase um pecado sair de lá sem provar algum(uns) dos coquetéis da carta criada pelo bartender Alex Mesquita, executados por um time de valor. Duas dicas: o luma affair (cachaça, vinho jerez fino, limão-taiti e calda de romã; R$ 32,00), acidinho e sem apagar o sabor da pinga, e o yuzu martini (gim, saquê e xarope da fruta cítrica yuzu; R$ 35,00), que não traz enfeites desnecessários na taça.

Informações checadas entre agosto e outubro de 2021. 

    A calçada parece pequena para o sucesso do bar-restaurante. Não é difícil ver o público esperando lá fora por um lugar na casa do chef Thiago Banãres, mesmo com a duplicação do salão, três anos atrás. Apesar da expansão dos negócios do cozinheiro, que abriu o Kotori em fevereiro, o Tan Tan continua sendo o queridinho do público. O atraente cardápio, em constante mutação, é inspirado no Japão e na China. Em um espirituoso trocadilho com o nome da banda de rock americana Skid Row, o squid row (R$ 45,00) é um ótimo sanduíche de lula à dorée, maionese de nirá, rodelas de cebola-roxa, picles de pepino e queijo prato em um bonito pão de hambúrguer dourado. Na ala dos dumplings são encontrados pasteizinhos à moda chinesa, como o shoronpo, cozido no vapor. Com formato de trouxinha e recheio de cebola e cogumelo ao curry (R$ 27,00), é umedecido com molho de shoyu, óleo de cebolinha e vinagre. O beef lo mein (R$ 55,00) é um macarrão salteado na panela wok com tiras de carne, acelga bok choy crocante e tiras largas de cebola, tudo temperado com molho de ostra. Porção farta, que dá até para compartilhar. A comida pode ser amparada com saquês, cervejas e vinhos, vindos de uma lista curtinha. Mas é quase um pecado sair de lá sem provar algum(uns) dos coquetéis da carta criada pelo bartender Alex Mesquita, executados por um time de valor. Duas dicas: o luma affair (cachaça, vinho jerez fino, limão-taiti e calda de romã; R$ 32,00), acidinho e sem apagar o sabor da pinga, e o yuzu martini (gim, saquê e xarope da fruta cítrica yuzu; R$ 35,00), que não traz enfeites desnecessários na taça.

    Informações checadas entre agosto e outubro de 2021.