Clique e assine por apenas 5,90/mês

Bekaa

(Desde 2018)

Tipos de Restaurantes: Árabes

VejaSP:

Endereço: Rua Jamanari, 330 - Morumbi - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 27768053

Site: https://www.bekaarestaurante.com.br/

Horário:

segunda-feira 12:00 - 15:00 - 18:00 - 22:00

terça-feira 12:00 - 15:00 - 18:00 - 22:00

quarta-feira 12:00 - 15:00 - 18:00 - 22:30

quinta-feira 12:00 - 15:00 - 18:00 - 22:30

sexta-feira 12:00 - 15:00 - 18:00 - 23:00

sábado 12:00 - 23:00

domingo 12:00 - 22:00

Faixa de preço: De R$00,00 a R$110,00

Informações adicionais: Lugares/Capacidade total (40)

Resenha por Saulo Yassuda

Na história da gastronomia árabe na cidade, dá para desenhar a árvore genealógica da família Abbud, ligada a diferentes negócios no ramo. O novo endereço do clã se chama Bekaa e foi posto em pé no fim de 2018 por Patricia Abbud e seu marido, Gustavo Casconi, perto do Era Uma Vez um Chalezinho… Até novembro, Patricia supervisionava as cozinhas da rede Saj, de propriedade de seu irmão, Paulo Abbud Filho, sócio ainda do Manish, no Itaim Bibi. O pai da dupla é Paulo Abbud, fundador do Farabbud, com unidades em Moema e na Vila Nova Conceição. No pequeno salão do Bekaa — nome do vale onde nasceu boa parte da comunidade libanesa da capital —, é difícil não começar a refeição com o trio de pastas (R$ 34,00), que traz homus cremoso, coalhada seca consistente e babaganuche pedaçudo e deliciosamente defumado. Para acompanhar, o pão saj fino (R$ 9,00) chega da cozinha soltando fumaça — temperatura parecida com a da esfiha de carne fechada (R$ 7,00), boa em sabor, mas sem delicadeza na massa. Vermelho, o quibe cru preparado com patinho e um pouco de pimentão (R$ 41,00) merece ser pedido — assim como o trigo grosso (R$ 33,00). Os grãos cozidos, com carne moída e frango desfiado, aparecem úmidos e banhados em uma generosa quantidade de coalhada fresca. No estilo caseiro, a mussaká montada na panelinha leva berinjela grelhada em cubos, tomate e molho bechamel (R$ 46,00). É servida com arroz com macarrão cabelo de anjo dourado como acompanhamento. O menu, semelhante ao das outras casas dos Abbud, também traz o bolo da teta (R$ 16,00), composto de camadas de brownie de casquinha crocante, recheio de brigadeiro e cobertura de ganache. Como a nova versão é feita com chocolate meio amargo, fica menos doce e mais saborosa.

Informações checadas em fevereiro de 2019.

    Na história da gastronomia árabe na cidade, dá para desenhar a árvore genealógica da família Abbud, ligada a diferentes negócios no ramo. O novo endereço do clã se chama Bekaa e foi posto em pé no fim de 2018 por Patricia Abbud e seu marido, Gustavo Casconi, perto do Era Uma Vez um Chalezinho… Até novembro, Patricia supervisionava as cozinhas da rede Saj, de propriedade de seu irmão, Paulo Abbud Filho, sócio ainda do Manish, no Itaim Bibi. O pai da dupla é Paulo Abbud, fundador do Farabbud, com unidades em Moema e na Vila Nova Conceição. No pequeno salão do Bekaa — nome do vale onde nasceu boa parte da comunidade libanesa da capital —, é difícil não começar a refeição com o trio de pastas (R$ 34,00), que traz homus cremoso, coalhada seca consistente e babaganuche pedaçudo e deliciosamente defumado. Para acompanhar, o pão saj fino (R$ 9,00) chega da cozinha soltando fumaça — temperatura parecida com a da esfiha de carne fechada (R$ 7,00), boa em sabor, mas sem delicadeza na massa. Vermelho, o quibe cru preparado com patinho e um pouco de pimentão (R$ 41,00) merece ser pedido — assim como o trigo grosso (R$ 33,00). Os grãos cozidos, com carne moída e frango desfiado, aparecem úmidos e banhados em uma generosa quantidade de coalhada fresca. No estilo caseiro, a mussaká montada na panelinha leva berinjela grelhada em cubos, tomate e molho bechamel (R$ 46,00). É servida com arroz com macarrão cabelo de anjo dourado como acompanhamento. O menu, semelhante ao das outras casas dos Abbud, também traz o bolo da teta (R$ 16,00), composto de camadas de brownie de casquinha crocante, recheio de brigadeiro e cobertura de ganache. Como a nova versão é feita com chocolate meio amargo, fica menos doce e mais saborosa.

    Informações checadas em fevereiro de 2019.