Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Bar Brahma

(Desde 1948)

Tipos de Bares: Bares variados

VejaSP:

Endereço: Avenida São João, 677 - Centro - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 20391250

Site: http://www.barbrahmacentro.com/

Horário:

segunda-feira 11:30 - 01:00

terça-feira 11:30 - 01:00

quarta-feira 11:30 - 01:00

quinta-feira 11:30 - 01:00

sexta-feira 11:30 - 02:00

sábado 11:30 - 02:00

domingo 11:30 - 00:00

Faixa de preço: De R$71,00 a R$105,00

Informações adicionais: Couvert artístico (R$ 100,00) (1), Estacionamento/Valet (R$ 20,00), Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (530), Levar vinhos (permite) (2)(1)R$ 10,00 a R$ 100,00 (segunda a sexta a partir das 19h30, sábado a partir das 14h), (2)Valor variável

Resenha por Saulo Yassuda

Sim, ele voltou. Ao contrário do que diziam fake news no início da quarentena, o clássico bar na esquina das avenidas Ipiranga e São João não fechou de vez. Continua a ocupar o amplo imóvel, que, aos poucos, vai abrindo seus ambientes ao público e retornando à programação de música ao vivo. O caráter de ponto turístico permanece, apesar da quantidade menor de visitantes na cidade: uma fotógrafa se oferece para fazer um retrato da mesa e uma lojinha no salão vende suvenires. O chope (Brahma, R$ 9,90) é bem tirado e pode ser alternado com drinques clássicos, que atualmente são preparados sob a supervisão do bartender Derivan de Souza, “emprestado” do Blue Note, bar de música administrado pelo mesmo grupo, o Fábrica de Bares. Vale pedir o mojito (R$ 26,00), equilibrado e com apresentação caprichada. Para petiscar, os canapés são montados sobre torrada de pão de miga preto, mais adocicado, com bastante cobertura. Duas dicas: os de caponata com muçarela de búfala e azeitona preta (R$ 31,00 a porção) e os de salmão defumado, creme azedo, rúcula, rabanete e pepino (R$ 44,00 a porção). O bar recupera uma estrela perdida no ano passado pela qualidade de pratos e bebidas, feitos agora com mais vigor.

Informações checadas entre agosto e outubro de 2020.

    Sim, ele voltou. Ao contrário do que diziam fake news no início da quarentena, o clássico bar na esquina das avenidas Ipiranga e São João não fechou de vez. Continua a ocupar o amplo imóvel, que, aos poucos, vai abrindo seus ambientes ao público e retornando à programação de música ao vivo. O caráter de ponto turístico permanece, apesar da quantidade menor de visitantes na cidade: uma fotógrafa se oferece para fazer um retrato da mesa e uma lojinha no salão vende suvenires. O chope (Brahma, R$ 9,90) é bem tirado e pode ser alternado com drinques clássicos, que atualmente são preparados sob a supervisão do bartender Derivan de Souza, “emprestado” do Blue Note, bar de música administrado pelo mesmo grupo, o Fábrica de Bares. Vale pedir o mojito (R$ 26,00), equilibrado e com apresentação caprichada. Para petiscar, os canapés são montados sobre torrada de pão de miga preto, mais adocicado, com bastante cobertura. Duas dicas: os de caponata com muçarela de búfala e azeitona preta (R$ 31,00 a porção) e os de salmão defumado, creme azedo, rúcula, rabanete e pepino (R$ 44,00 a porção). O bar recupera uma estrela perdida no ano passado pela qualidade de pratos e bebidas, feitos agora com mais vigor.

    Informações checadas entre agosto e outubro de 2020.