Clique e assine por apenas 6,90/mês

Vivendo na panela de pressão

Tais Masi fala sobre as cinco linguagens do amor e a expressão de sentimentos como uma válvula de escape para a pressão

Por Helena Galante - 6 Apr 2020, 00h10
“Estamos vivendo uma panela de pressão. A gente condensou informações dentro de um espaço e o fogo está alto”, constata Tais Masi, psicóloga e terapeuta familiar. Como é possível evitar que essa panela exploda? “A nossa válvula de escape é a expressão, a gente poder falar o que está sentindo”, diz Tais (@tais_masi), convidada de Helena Galante no episódio #43 do podcast Jornada da Calma. Idealizadora da escola infantil Jardim Muriqui, em São Francisco Xavier, ela fala sobre como as crianças e os adultos podem manter o afeto em alta para buscar uma nova relação com o mundo e com o tempo.
“Nossa rotina tem o tempo funcional, de pagar boleto, mas tem também o tempo poético, do olho no olho. Esses tempos precisam ser melhor equilibrados”, fala Tais. Em tempos de distanciamento social e necessária restrição do contato físico, ela responde ainda como é possível achar outras formas de compartilhar carinho. “Todo mundo precisa se sentir amado, pertencente, para existir.” Ela cita cinco linguagens do amor: a do toque físico, dos atos de servir, das palavras de afirmação, dos presentes (pode ser uma florzinha encontrada no meio do caminho de volta pra casa) e do tempo de qualidade. “A ideia é que todos nós temos que poliglotas.”

Assine a Vejinha por 14,90 mensais.

Publicidade