Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Tabacaria de luxo abre as portas em São Paulo com harmonização de charutos

Com especialista cubano entre os sócios, espaço tem poltronas de couro, obras de arte e até marca própria de charuto produzido no Brasil

Por Humberto Abdo Atualizado em 20 Maio 2022, 16h40 - Publicado em 20 Maio 2022, 06h00

Aqui o cara pode fumar sem a esposa reclamar da fumaça”, brinca José Luiz Monteis, um dos sócios da Europa Lounge, nova tabacaria de luxo aberta na Avenida Europa com salas privativas e ambientes para bebericar e experimentar um charuto.

+ Websérie de negócios terá entrevistas em mansões do Jardim Europa

“É um prazer capaz de oxigenar minha cabeça”, romantiza José, que mantém a profissão no ramo imobiliário e encontrou no hobby uma oportunidade de investimento, feito com os sócios Humberto Dominguez e Yunier Alvarez Perez. “Nos empolgamos e passou da conta: gastamos cerca de 1 milhão e meio de reais com reformas e a compra do local.”

Reginaldo na Tabacaria Europa
Ritmo de bar: Reginaldo comanda serviços e atendimento da casa Leo Martins/Veja SP

Em uma casa tombada pelo patrimônio histórico, o cheiro forte de tabaco é o primeiro a invadir as narinas de quem abre a porta. Para os adeptos, esse é o odor que sinaliza o ritual “quase meditativo” de acender um cubano Cohiba Behike ou o Arturo Fuente Don Carlos, da República Dominicana — ambos estão à venda no umidor, nome dado à cabine climatizada que armazena as caixas de charutos, muitos deles produzidos em Cuba, outros trazidos de países como Nicarágua e vários fabricados aqui mesmo, no Brasil.

O “cardápio” inclui até uma versão própria dos fundadores: o Seis14, feito em Cruz das Almas, no Recôncavo Baiano, onde o cubano Yunier mantém fábrica própria. “Nem todo mundo sabe, mas eles costumam ser 100% feitos a mão”, explica. Por esse processo cheio de detalhes, algumas opções do espaço podem chegar a custar 1 700 reais cada unidade (as versões mais em conta giram em torno de 90 reais).

Com consumo mínimo de 145 reais para cada cliente, os frequentadores não precisam marcar hora ou pagar entrada, mas o grupo recomenda fazer reserva para as salas do 2º andar. “Onde muitos fecham negócios entre um charuto e outro”, observa José.

Charutos da Tabacaria Europa Lounge
Comprados em distribuidoras, charutos variam em tamanho, origem e intensidade Leo Martins/Veja SP

A sala com lareira, no térreo, é uma das áreas mais disputadas, mas é no deque dos fundos que acontecem alguns eventos e harmonizações. “Mesmo depois de anos no setor de bares, acho que nunca trabalhei com tanta intensidade como aqui”, disse o gerente Reginaldo Nascimento enquanto organizava as fileiras de cadeiras na área coberta. “O público é exigente e só costuma retornar com frequência quando gosta da experiência.”

Continua após a publicidade

Um dos destaques é o menu criado pelo especialista Alexandre Avellar, que harmoniza charutos e drinques. “São três etapas de degustação: uma bebida para cada ‘terço’ do charuto, com combinações de conhaque, cachaça e negroni, por exemplo”, resume José.

As preferências ao escolher a marca normalmente variam de acordo com a experiência: mais suaves para novatos e mais fortes entre veteranos. E, embora o público masculino seja maioria em tabacarias como essa, muitas mulheres descobriram esse prazer na pandemia, segundo os sócios. “Hoje existem confrarias exclusivas e elas chegam aqui sozinhas ou entre amigas.”

Decoração da Tabacaria Europa Lounge, quadros do Jotapê decoram os ambientes
Poltronas de couro e quadros de Jotapê decoram os ambientes Leo Martins/Veja SP

Outro detalhe da empreitada é a decoração assinada pela arquiteta Cristina Bozian, que apostou nas poltronas de couro e em quadros repletos de cor do artista plástico Jotapê, todos à venda também. “O ato de fumar um charuto leva tempo, então o conforto é parte importante”, ressalta Yunier. “A ideia é manter o clima residencial para que todos fiquem à vontade”, acrescenta José. “Queremos transformar isso aqui num ícone do charuto.”

Para mais novidades e destaques paulistanos, siga Humberto Abdo no Instagram e no Twitter.

+Assine a Vejinha a partir de 12,90. 

Publicado em VEJA São Paulo de 25 de maio de 2022, edição nº 2790

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)