Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Mario Jr do TikTok: “Não tinha condições de pagar a faculdade”

O jovem fenômeno da internet foi aconselhado a estudar durante programa na Jovem Pan; em entrevista, ele fala sobre os planos futuros

Por Fernanda Campos Almeida Atualizado em 22 jul 2020, 14h06 - Publicado em 22 jul 2020, 13h59

Mario Jr, conhecido como “galã do TikTok”, foi convidado para participar do Pânico na Jovem Pan na terça-feira (14) e gerou revolta no Twitter por conta da postura de Emilio Surita e dos outros apresentadores. Usuários das redes sociais afirmaram que Mario foi “humilhado e constrangido” no programa de rádio.

Durante a atração, ele foi aconselhado a “estudar” e “não apenas ficar no TikTok” pelo comentarista e economista Samy Dana, além de ser interrompido em diversos momentos da conversa. Em entrevista à Vejinha, Mario conta que não pôde explicar que estudava jornalismo no Centro Universitário Estácio de Santa Catarina, mas que precisou trancar o curso por não ter condições de pagar as mensalidades.

“Eu estava nervoso porque era minha primeira entrevista em uma mídia tão grande, mas sabia que o programa era de zoeira. O que me deixou constrangido foi o fato de não ter oportunidade de falar e contar que não consegui pagar a faculdade e por isso fui para a Inglaterra trabalhar para juntar dinheiro. Parece que eles não quiseram me dar ouvidos e saber o que eu faço”, desabafou.

Diversos influenciadores e artistas, como Felipe Neto, Whindersson Nunes e Lucas Rangel, que já passaram por situações semelhantes, prestaram apoio ao influenciador. “Eu quase tive um infarto quando vi o vídeo do Neymar”, conta Mario. O jogador de futebol usou um filtro que imita um dos vídeos mais famosos do TikToker e disse: “Liga pra isso aí não. Críticas nos fazem crescer”. “A galera viu o que aconteceu e ficou do meu lado. Fiquei muito feliz”.

Como tudo começou

Mario Luiz Carcasci Junior, 20 anos, nasceu na cidade de São Paulo, mas viveu a maior parte da vida em Florianópolis, Santa Catarina. Em 2017, com dupla cidadania portuguesa, mudou-se para a casa da tia em Bristol, na Inglaterra, para estudar inglês e trabalhar em um hotel, na recepção e como barman.

Com o trabalho suspenso por conta da pandemia do novo coronavírus e para se distrair durante a quarentena, Mario começou a produzir vídeos no TikTok no formato POV (point of view ou “ponto de vista”, em português), conversando com o usuário como se ele estivesse também em cena. Ele se inspira no charmosos protagonistas de comédias românticas e cenas de filmes, convidando uma garota para o baile de formatura, por exemplo.

Sem esperar pela fama, os vídeos se tornaram virais não só dentro do aplicativo chinês, mas em todas as redes sociais. “No começo fiquei assustado. Não é normal sair de um anonimato e saber que há pessoas falando bem e também me ‘zoando’. Encarei da melhor forma e sou eu quem mais dou risada dos duetos que a galera faz comigo. Levo na esportiva e sei que para algumas pessoas é engraçado. A cada 100 mensagens positivas, só duas são negativas, então não me importo. O importante é ter cabeça para filtrar o que é bom e não se abalar”, revela.

Engana-se quem acha que os vídeos do jovem galanteador faz maior sucesso entre meninas mais novas. “Recebo diversas mensagens de homens e mulheres de 30, 40 anos que adoram o que faço”, revela o TikToker que soma mais de dois milhões de seguidores na plataforma.

Também à Vejinha, Mario anunciou que estará de volta ao Brasil no mês que vem por conta de mais de 50 propostas relacionadas ao audiovisual, sem dar muitas detalhes. “Estou analisando com meu empresário a melhor decisão, sem me precipitar”, conta. Ele pretende fazer um curso de atuação para se profissionalizar, sem deixar o TikTok de lado. “Um recado para minha geração é que, por mais que pareça clichê, não deixe se abalar pelas críticas”, aconselha o hit da vez na internet.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade