Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

“É um filme muito pessoal para mim”, diz diretor de nova animação da Pixar

"Dois Irmãos — Uma Jornada Fantástica" chega às salas de cinema do Brasil em março de 2020 e ganhou painel neste sábado (7) na CCXP

Por Tatiane Rosset Atualizado em 14 fev 2020, 15h48 - Publicado em 7 dez 2019, 23h43

Dois Irmãos — Uma Jornada Fantástica é o primeiro filme original da Pixar desde Viva — A Vida É Uma Festa, de 2017. A nova animação chega às salas de cinema no Brasil no dia 05 de março de 2020 e, neste sábado (7), o diretor Dan Scanlon foi à CCXP 2019 revelar alguns bastidores sobre a produção. O mais emocionante? A história, que mostra a relação de dois filhos com o pai, é inspirada na vida pessoal do profissional: “É um filme muito pessoal para mim. Eu tinha um ano de idade quando meu pai morreu. Meu irmão tinha três anos, e nós não tínhamos muitas lembranças dele”, revelou Scanlon.

Na produção, os irmãos Ian e Barley Lightfoot, com vozes de Tom Holland e Chris Pratt, respectivamente, vivem uma aventura mágica após receberem um presente especial, deixado por seu pai antes de morrer. Moradores de um subúrbio mágico, mas com cada vez menos feitiços e encantamentos, eles ganham um cajado e uma pedra fênix, que promete trazer o patriarca à vida por apenas 24 horas. O problema? O feitiço dá errado, e eles precisam correr para tentar encontrar uma solução.  A inspiração para a história veio de uma fita, encontrada por um familiar do diretor: os irmãos nunca tinham ouvido a voz do pai. Após muita expectativa, eles recebem uma gravação onde é possível ouvir a voz do homem dizendo “olá” e também “tchau”. Parece pouco, mas para os jovens foi uma memória inesquecível. “Para nós foi mágico, foi incrível ouvir a voz dele”. 

A história deste subúrbio mágico está em criação há mais de seis anos. “Não há humanos nesse universo”, garante Scanlon. As criaturas mágicas também ganham roupagens… diferentes. Os míticos unicórnios, por exemplo, são tratados como pragas — Scanlon os comparou a guaxinins — e estão em todos os lugares. Ao todo, o filme possui treze espécies diferentes, como elfos e ciclopes, e até tipos desenvolvidos especialmente para a produção. A animação também conta com feitiços desenvolvidos especialmente para a produção, que seguem algumas regras: os nomes precisam ser curtos, você pode adivinhar o que eles fazem após ouvir a “convocação” do feitiço, e não pode parecer muito “bobo”.

No painel, Scanlon revelou que a equipe está “bastante animada” com o elenco da produção e revelou os bastidores do relacionamento de Holland e Pratt, que trabalharam juntos em Vingadores — Guerra Infinita (2018): “Chris é como um irmão mais velho para o Tom”.

Neste sábado (7), o diretor compartilhou três cenas exclusivas com o público da CCXP. Na primeira delas, é possível ver o momento que os irmãos “conjuram” o pai — quer dizer, metade dele. Na segunda, há um momento de ação e aventura, quando os protagonistas são perseguidos por fadas ciclistas. Sim, elas podem parecer adoráveis, mas são também muito radicais e vingativas. O último clipe apresentado por Scanlon mostra o momento em que Ian, inseguro e tímido, ganha autoconfiança e consegue usar um feitiço para atravessar um “poço sem fundo”. O momento rendeu boas risadas da plateia.

Dê sua opinião: E você, o que achou do novo filme da Pixar?

  • Continua após a publicidade
    Publicidade