Clique e assine por apenas 6,90/mês

Os 110 anos do nascimento de Adoniran Barbosa e as homenagens pela cidade

Artista colocou São Paulo na roda do samba e é um dos ícones da capital

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 6 ago 2020, 11h59 - Publicado em 6 ago 2020, 11h58

Em 6 de agosto de 1910, nascia em Valinhos, interior de São Paulo, o cantor e compositor Adoniran Barbosa. Se vivo, ele teria 110 anos. O autor de Saudosa Maloca (1955), dentre outras canções famosas, ficou conhecido por criar um tipo de samba paulistano, que enaltecia a memória e o cotidiano de imigrantes pobres e seus descendentes.

Músicas que traziam temática social, como a falta de habitação e que fizeram o país identificar bairros como Brás, Mooca, Bixiga, Jaçanã e Casa Verde. Adoniran, que morreu em 1982, também seria lembrado na história como um artista que brincava com a língua portuguesa e os seus plurais. 

View this post on Instagram

#kobrastreetart#eduardokobra#saopaulowalk#guardiancities#lemonde#lensculture#streetart#streetartist#urbanphotography#urbanphotographer#citygrammers#city_explore#cityphotographer#urban_shots#fotografiacallejera#saopaulo_originals#cambucisp#ricardoramosjunior#photoobserve#observecollective#esquinasdetuciudad#spicollective#streetartglobe#streetarteverywhere

Continua após a publicidade

A post shared by Ricardo Ramos (@ricardo.ramosjr) on

Em São Paulo, sua memória segue firme. Em 2018, Adoniran recebeu homenagem póstuma como Cidadão Paulistano. O sambista também ganhou um busto, feito pelo escultor Luiz Morrone (1906-1998) e instalado na Praça Dom Orione, no bairro da Bela Vista. Ele também ganhou um mural produzido pelo paulistano Eduardo Kobra. O trabalho, com 30 metros de altura e 10 de largura, está na lateral de um prédio no número 702, da rua Heitor Peixoto, no Cambuci.

Com informações da Agência Brasil

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade