Clique e assine por apenas 6,90/mês

Onde beber ao som de jazz

O estilo musical tem lugar cativo em bares da cidade, confira a seleção

Por Saulo Yassuda e Fábio Galib - Atualizado em 19 Jun 2017, 14h02 - Publicado em 19 Aug 2016, 17h44

Desde a criação desse estilo musical, que nasceu nos Estados Unidos no início do século XX, ele tem conquistado fãs por todo o mundo. Em São Paulo, diversas casas oferecem vastas programações com apresentações de jazz, que possuem um público fiel. Para ajudar na hora da escolha de um desses endereços, selecionamos cinco bares para beber ao som de jazz. Confira:

All of Jazz: típico clubinho, tem salão apertado e shows de primeira qualidade. É um clube de jazz tocado com afinco por Antônio Augusto Deleuse. Combos em diferentes formações, alguns acompanhados por cantores, apresentam-se todas as noites — à exceção dos domingos, quando a casa não abre. Entre os drinques, é melhor ficar com uma dose de uísque. A porção de salgadinhos que vem junto é cortesia.

JazzB
O palquinho e a arquibancada do JazzB: ambiente cool Fernando Moraes/Veja SP

JazzB: o bar dedica-se ao estilo musical e agrada a modernos de todos os matizes. Todo descolado, com pé-direito alto e atmosfera industrial, o bar é um dos responsáveis por levar modernos ao centro da cidade. Enquanto o som entra pela noite, bebem- se chope Colorado (R$ 13,00, 330 mililitros) e drinques como o gim-tônica (R$ 29,00). 

 Jazz nos Fundos: o bar musical faz parte do Centro Cultural de Música InstrumentalQuem frequentava o antigo (e apertadinho) Jazz nos Fundos, contudo, pode ficar tranquilo. Ele segue com sua programação caprichada de música instrumental. O cardápio do bar traz comidinhas como a bruschetta de tomate, manjericão e queijo parmesão (R$ 19,00 a porção), além de boas cervejas, caso da IPA nacional Colorado (R$ 27,00, 600 mililitros).
Terraço Itália - bar
Terraço Itália: vista para a cidade Fernando Moraes/Veja SP

Madeleine: a programação diária atrai casais a fim de escutar bom som ao pé do ouvido. Minúsculo, o palco fica junto à entrada e abriga de terça a sábado apresentações calcadas no jazz, que, por vezes, flertam com o pop e a MPB. A noite quase sempre termina na companhia de um bom vinho e de comidinhas como a pizza aperitivo com camarão, queijo brie, erva-doce e alcachofrinhas na massa sem glúten (R$ 69,00).

Continua após a publicidade

Terraço Itália: no 42º andar, tem um piano de cauda, no qual músicos tocam o gênero. Fica no topo do Edifício Itália e tem status de programa turístico. À noite, o clima é romântico, com apresentações diárias de jazz. O ótimo dry martini (R$ 42,00) acompanha a porção mista de pastéis sem bolhas na massa (R$ 42,00), com os recheios de camarão, caprese e palmito. Cobra-se entrada: R$ 35,00.

 

Publicidade