Clique e assine por apenas 6,90/mês

COMER & BEBER 2016/2017: sorvetes

Confira a seleção dos melhores endereços dessa categoria

Por Fábio Galib, Jennifer Detlinger e Mônica Santos - Atualizado em 1 Jun 2017, 14h20 - Publicado em 21 Oct 2016, 23h00

A edição especial VEJA COMER & BEBER São Paulo reúne 200 endereços de comidinhas. Abaixo, os mehores endereços para tomar sorvete em São Paulo

Bacio di Latte: é de impressionar a expansão desta sorveteria aberta cinco anos atrás na Rua Oscar Freire. Atualmente, somam-se mais de vinte pontos de venda na capital, entre lojas e apes, como são chamados seus carrinhos. Hits das cubas são os sabores pistache e nerissimo, versão de chocolate à base de água e com sabor intenso. Os que são feitos de frutas frescas também agradam. O potinho com até três sabores custa entre R$ 11,00 (pequeno) e R$ 13,00 (médio). Na casquinha, o sorvete sai por R$ 11,00, com uma bola, e R$ 13,00, com duas.

Ben & Jerry’s: dulcíssimas, maçudas e cheias de pedaços. Assim são as receitas da rede norte-americana, com três concorridas lojas por aqui. De nome comprido, o chocolate chip cookie dough é um sorvete de creme com lascas de biscoito e flocos de chocolate. O cherry garcia vem com cereja em calda picada e o strawberry cheesecake tem sabor de… cheesecake de morango. No copinho ou na casquinha, pagam-se R$ 12,00 por uma bola, R$ 17,00 por duas e três saem a R$ 22,00. Para vir no cone de waffle, maior e mais fresquinho, há um acréscimo de R$ 4,00 no valor.

Casa Elli
Casa Elli

Casa Elli: ingredientes de qualidade e frutas orgânicas são usados para preparar os mais de oitenta sabores do catálogo. A cada dia, quinze deles ocupam os recipientes metálicos da vitrine. O de limão-siciliano é azedinho na medida e o de doce de manga com coco, cremoso, carrega pedaços de fruta. Ali também se encontra um dos melhores sorvetes feitos com pistache de Bronte na cidade (R$ 16,00 a bola). No copinho ou na casquinha, a porção menor, com dois sabores, sai a R$ 13,00.

Cuordicrema: as lojas da rede deixam à mostra o maquinário italiano Cattabriga, responsável por bater lentamente os ingredientes a fim de garantir a textura cremosa dos sorvetes. Já prontos, eles são armazenados em recipientes de inox, protegidos da luz e do calor. Basta pedir à atendente para provar sabores como nocciola, morango com chocolate ou a refrescante combinação de iogurte com limão. No copinho, a porção de 120 gramas custa R$ 11,00. Na casquinha, que ganha recheio de chocolate belga antes de receber a bola, o preço sobe para R$ 13,00.

Continua após a publicidade

+ As melhores docerias da cidade

Davvero Gelato Tradizionale: nos dias de maior movimento da loja do Itaim Bibi, não é raro ver as irmãs Suelen Ferrari e Débora Tesoto atrás do balcão, seja no caixa, seja auxiliando um cliente na escolha do sorvete. Elas também trabalham duro nos bastidores do negócio. Estão sempre a criar novos sabores e assim fizeram a quantidade de receitas do catálogo saltar de sessenta para perto de 200 desde a inauguração, em janeiro do ano passado. Entre as ofertas mais recentes estão a adaptação do creme brûlé, com direito a crosta de açúcar queimado, e a opção de manga com maracujá, que combina o doce do primeiro ingrediente com o azedinho do segundo — na dúvida, é só pedir uma bola de cada (R$ 12,00 no copo ou R$ 16,00 na casquinha). Em agosto, as irmãs abriram a segunda loja, no Shopping Iguatemi.

Diletto: os produtos podem ser encontrados em supermercados, mas uma visita à loja própria da marca sempre vale a pena. Dotada de uma agradável varanda, ela vende toda a linha de sorvetes em potinhos com um ou dois sabores (R$ 9,00 e R$ 11,00, respectivamente). Tem doce de leite, pistache, baunilha, iogurte… Como novidade, dá para pedir à parte caldas como a de frutas vermelhas e a quente de chocolate, que fica durinha em contato com o gelado (R$ 4,50 cada uma).

Dolci Magie: Andrea Beccaria nasceu em Roma e, junto de dois conterrâneos, abriu a sorveteria no ano passado. Ele se vale de boa dose de criatividade para sobressair ao preparar versões como a de manjericão e de arroz-doce, além da combinação de ricota, pera e lascas de chocolate. Faz também sorvetes mais triviais, como pistache, além de opções sem açúcar e sem lactose. Por qualquer escolha, pagam-se R$ 11,00 (o copinho) e R$ 15,00 (o copo grande).

Continua após a publicidade

Freddo: a rede argentina, nascida em Buenos Aires, conquistou os brasileiros com seus sorvetes de doce de leite cremosíssimos. Das sete variações, o vauquita, com pedaços do doce, é a mais requisitada. No potinho pequeno (R$ 11,50), médio (R$ 14,90) ou grande (R$ 21,90), vale combinar uma das versões a sabores como coco, zabaione ou amêndoa. O gelado também pode vir no cone de waffle, ali mais afunilado e chamado de cucurucho (R$ 15,90).

Frida & Mina
Frida & Mina

Frida & Mina: os sorvetes do casal Fernanda Bastos e Thomas Zander são feitos com ingredientes orgânicos obtidos de pequenos produtores, sem corantes nem estabilizantes. Mais do que isso: são uma delícia. Costumam marcar presença na vitrine da pequena loja sabores atraentes como morango com vinagre balsâmico, doce de leite, crocante de macadâmia e açúcar mascavo com noz-­pecã. O de baunilha é repleto de pontinhos pretos da fava, uma beleza! Uma bola custa R$ 9,00, duas saem por R$ 14,00 e três, R$ 18,00. O preço vale tanto para o potinho como para a casquinha, que, quando está sendo produzida, lança no ambiente um perfume irresistível.

+ Confira as novidades das sorveterias paulistanas

Gelateria Dri Dri: filial de uma gelateria aberta por um italiano em Londres, sobressai pelos sabores de fruta, como açaí, goiaba e limão. Também investe em combinações ultrarrefrescantes, como a de tangerina, manjericão e um toque de morango e a de manga, gengibre e hortelã. Para quem quer algo mais “gordinho”, há o sorvete de creme com biscoitos e uma boa versão de baunilha. No pote, dois sabores custam R$ 10,00 e três, R$ 12,00. Quem pede a casquinha feita ali mesmo paga um pouco mais caro: R$ 12,00 e R$ 14,00, respectivamente.

Gelato Boutique: a decoração um tanto rebuscada da matriz, na Rua Pamplona, destoa dos gelados feitos pela mestre-sorveteira Marcia Gabin, que são de delicadeza ímpar e bastante autorais. Doce de leite com cumaru, ammapassione (chocolate AMMA, maracujá e nibs de cacau) e caffè-lime, feito com limão-taiti e grãos de café, figuram entre as ótimas pedidas. No copinho pequeno, o gelado custa R$ 10,00 e vem coroado com uma crocante casquinha. Se a crostata de Nutella com banana estiver sobre o balcão, peça uma fatia (R$ 9,00).

Le Botteghe di Leonardo
Le Botteghe di Leonardo

Le Botteghe Di Leonardo: a rede de origem italiana, presente em cidades como Florença, Milão e Pequim, inaugurou uma nova unidade por aqui (Rua Armando Penteado, 56, Higienópolis, 2532-0376). Assim como na loja do Jardim Paulista, os ótimos sorvetes são servidos na casquinha (R$ 11,00 a pequena) ou no potinho (R$ 7,00 o míni e R$ 15,00 o maior). Há versões como banana com kiwi, framboesa, castanha-do-pará, zabaione e até um azedinho cambuci. Picolés de recheio cremoso e cobertura de chocolate, os chamados stecchi, também fazem sucesso.

Continua após a publicidade

Marco Polo Gelateria & Caffè: comandada pelo argentino Eloy Fabris e sua mulher, Natalia Luglio, tornou-se um endereço querido no Tatuapé. Entre os mais de sessenta sabores, 24 revezam-se na vitrine a cada semana. É possível escolher até três deles nos potinhos pequeno (R$ 10,00), médio (R$ 12,00) ou grande (R$ 15,00). Sempre em cartaz, o spagnola combina uma massa de leite, calda de cereja amarena e suspiro. Na parte salgada, há sanduíche de peito de peru com bacon, ovo cozido, tomate e alface (R$ 20,00).

Praça Rochinha: da fábrica em São José dos Campos, saem remessas semanais de sorvetes que enchem as cubas desta bonita loja. Prevalecem versões de massa à moda antiga, mais compactas, que aparecem em sabores como cereja amarena, milho verde e doce de leite, vendidos no sistema self-service (R$ 69,90 o quilo). Os picolés da marca, nascida em São Sebastião, são feitos em 27 sabores como coco com abóbora e abacate (R$ 6,00 cada um).

As melhores padarias

Stuzzi Gelateria Italiana: antes de se decidir, peça às atendentes para provar as sugestões veganas. É surpreendente ver que elas têm textura e sabor tão bons como o das as demais receitas preparadas com leite. São boas escolhas a levíssima versão de limão com framboesa e o tanzânia, feito com chocolate meio amargo e leite de amêndoas. O copinho pode ser médio (R$ 13,00) ou grande (R$ 16,00), ambos com até três sabores.

Continua após a publicidade

Trevisi: Andrea Trevisi é uma venezuelana filha de italianos que aprendeu a fazer sorvete na terra dos pais. Entre os sabores propostos por ela estão pistache, baunilha com leve infusão de limão e palha italiana. Abacaxi com alecrim, manga (uma delícia!) e morango mais laranja e manjericão têm base de água. Qualquer um deles sai a R$ 11,00 no potinho pequeno, com até dois sabores. Mas fica difícil resistir à casquinha (R$ 14,00), que pode ser preenchida com calda de chocolate belga por mais R$ 2,00.

Publicidade