Imagem Blog

Tudo Sobre Cinema

Continua após publicidade

Em ‘Eu Sou Sua Mulher’, Rachel Brosnahan constrói uma protagonista forte

Ao contrário do que sugere o título e a ambientação nos anos 70, o roteiro não é uma história sobre submissão

Por Helena Galante Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
18 dez 2020, 06h00

O título Eu Sou Sua Mulher e a ambientação na década de 70 podem indicar uma trama de submissão. Mas Rachel Brosnahan (que ganhou o Globo de Ouro por The Marvelous Mrs. Maisel) constrói a personagem Jean com doses crescentes de força. Na primeira cena, a dondoca sustentada pelo trambiqueiro Eddie (Bill Heck) enfrenta a “grave” situação de dar um jeito de arrancar a etiqueta do robe.

Na sequência, porém, tem de lidar com a chegada de Harry, um bebê trazido por Eddie para ser o filho do casal, e logo fugir com o pequeno para escapar de uma perseguição dos companheiros de crime do marido. Quem a ajuda são Cal (Arinzé Kene) e Teri (Marsha Stephanie Blake). O passado de ambos é surpreendente, mas a resiliência da protagonista será ainda mais. Prime Video.

+Assine a Vejinha a partir de 5,90

Publicado em VEJA São Paulo de 23 de dezembro de 2020, edição nº 2718.

Continua após a publicidade

LEIA MAIS

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.