Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Tudo Sobre Cinema

“Estou otimista”, diz André Sturm sobre futuro do Belas Artes

Sem o patrocínio da Caixa, o dono do cinema vem tendo reuniões para encontrar uma nova marca que possa cobrir as despesas do aluguel

Por Miguel Barbieri 1 mar 2019, 15h06

Já sem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, o Belas Artes segue agora na luta para buscar outra marca capaz de bancar sua despesa principal. “O patrocínio é para o aluguel”, me disse André Sturm, dono do complexo de seis salas na Rua da Consolação, numa conversa na manhã desta sexta (1).

Herói da resistência dos cinemas de rua, o Belas Artes já enfrentou crises piores e conseguiu superá-las. A previsão de Sturm é otimista: “Já estou conversando com várias empresas e a mobilização da imprensa e dos frequentadores está sendo fundamental para continuar lutando”.

Sem revelar o valor exato do aluguel, Sturm, ex-Secretário Municipal da Cultura de São Paulo e ex-diretor do MIS, diz que o preço condiz com o do mercado, algo em torno de 100 000 reais. “O patrocínio da Caixa era de 1,5 milhão ao ano”, revela. “Isso cobria os custos de aluguel e, para eles, era um grande negócio em termos de marketing”. Além de benefícios para os clientes da Caixa, o Belas Artes sedia uma das salas para que eles usassem uma vez por mês.

O que inviabiliza o funcionamento do Belas Artes e dos cinemas de rua em geral (vide o caso semelhante do Cinearte, que vai perder o patrocínio da Petrobras no fim de março) é o aluguel. Como não estão instalados em shoppings, o Belas Artes e o Cinearte penam com os altos custos da locação. Fora o aluguel, Sturm diz que, com o movimento das bilheterias do Belas Artes (um dos mais queridos dos paulistanos), consegue se manter aberto.

Ele também está escutando propostas de clientes que, sugeriram, por exemplo, que cada sala fosse patrocinada por uma marca. “Tenho esperança que tudo se resolva com apenas uma empresa, já que o valor não é tão alto e o retorno, grande”. Estamos, todos, na torcida para que o desfecho seja feliz e o mais rápido possível.

+ Cinearte perde patrocínio da Petrobras e busca solução para ficar aberto

Continua após a publicidade

+ Esposa que cortou o pênis do marido rende série espetacular

Quer me seguir nas redes sociais? Anote: 

Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês