Imagem Blog

Pop! Pop! Pop!

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais
Continua após publicidade

Lucas Lucco desabafa sobre depressão e síndrome do pânico em participação no Encontro

Em participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, nesta quarta (11), Lucas Lucco abriu o jogo sobre o período em que sofreu depressão e síndrome do pânico. “É uma ferida que ninguém consegue enxergar”, afirmou, em um desabafo que repercutiu nas redes sociais. + Otaviano publica desabafo no Instagram após comentário polêmico no Video Show […]

Por VEJASP
Atualizado em 26 fev 2017, 12h02 - Publicado em 11 Maio 2016, 16h32

lucaslucco

Em participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, nesta quarta (11), Lucas Lucco abriu o jogo sobre o período em que sofreu depressão e síndrome do pânico. “É uma ferida que ninguém consegue enxergar”, afirmou, em um desabafo que repercutiu nas redes sociais.

+ Otaviano publica desabafo no Instagram após comentário polêmico no Video Show

No fim de 2015, o sertanejo havia revelado que estava usando remédios para “conseguir voar, dormir, acordar” e se manter calmo.

“As coisas foram acontecendo e, quando eu me vi, já estava desse jeito”, disse Lucco. “Eu comecei a faltar às gravações da novela e também aos shows, não conseguia mais sair de casa, tinha medo de sair. É uma ferida que ninguém pode enxergar, as pessoas te olham e não conseguem ver isso, só conseguem ver um rosto triste. Parece que as pessoas que estão ao seu redor não te entendem. Você perde todo o seu brilho, toda a sua cor. É uma sensação de morte“, afirmou.

O sertanejo também revelou que foi aconselhado a não dirigir. “Eu fui proibido pela minha psicanalista de dirigir por um mês. Eu achava que ia chegar alguém com uma arma na minha cabeça. Ia fazer show e achava que meu camarim estava cheio de câmeras”, afirmou. “Eu quis ser cantor, sou muito exigente. Eu sempre faço o máximo que eu posso em tudo, isso me consumiu muito”, completou.

Hoje, Lucco diz estar melhor – principalmente por causa do “apoio espiritual”. “Depois que essa nuvem negativa saiu da minha vida pude perceber várias coisas. Sempre fui um cara emotivo, sou de uma família de muita fé. A história toda da minha carreira tem 4 anos”, afirmou. Confira a repercussão do caso na internet:

Continua após a publicidade

Deixe sua opinião e aproveite para curtir nossa fanpage no Facebook.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.