Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Após morte de esposa, homem descobre piada deixada por ela

"Pude ouvir minha mãe rindo da situação", contou a filha, em post no Twitter

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 19 jan 2018, 16h35 - Publicado em 19 jan 2018, 16h28

A longa história de amor entre Nigel Fitton e sua esposa Phedre terminou de uma maneira trágica: em 2013, ela morreu depois de ter lutado contra um câncer. Mas, embora marcado pela tristeza, o casal vem inspirando internautas por conta de um detalhe curioso desse romance: antes de morte, Phedre deixou no ar uma piada que Nigel só conseguiu entender muito, muito tempo depois.

A mulher, que enfrentou a doença por cinco anos, tinha um humor peculiar – a ironia era um talento que ela fazia questão de cultivar. Um dos últimos pedidos de Phedre para o homem foi “regar religiosamente a planta do banheiro”. E assim, todos os dias, Nigel cuidou da planta na casa onde moravam, em Joanesburgo, na África do Sul. Ele dizia ter ficado muito orgulhoso por ter conseguido manter a planta “viva e bonita”. Confira uma foto:

Reprodução/Veja SP

Dois anos depois da morte da mãe, a filha do casal, Antonia, que vive em Londres, fez a viagem à África para cuidar de uma difícil transição: o pai teria que se mudar para um asilo. Quando chegou na casa dele, viu a planta que ele regava todos os dias.

Foi então que ela descobriu a última piada da mãe: a planta era de plástico.

“De longe, ela parecia verdadeira, mas não era tão difícil identificar o material de que era feita”, contou a filha. “Foi tão engraçado quando descobrimos. Nós rimos juntos e, por um momento, a impressão era de que minha mãe estava lá dentro daquele banheiro rindo junto conosco”, disse.

Continua após a publicidade

A história, compartilhada no Twitter, teve mais de 40.000 compartilhamentos e 130.000 curtidas: “Sua mãe era genial”, comentou um seguidor. Confira:

(A filha do casal usou uma foto de arquivo para ilustrar o tuíte, já que não tinha em casa uma imagem da planta falsa).

Uma seguidora resumiu a “moral da história” em um tuíte: “A vida foi feita para ser AMADA. Não leve tudo tão a sério, ou com tanto rigor, porque todos nós morreremos no fim. A única coisa que importa é a maneira como a vida é vivida”.

Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa fanpage no Facebook.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês