Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

A evolução das gírias

Veja as gírias mais usadas década a década; algumas delas valem até hoje

Por Roosevelt Garcia 23 abr 2017, 10h52

De tempos em tempos nosso vocabulário é reciclado pelas gírias da moda. Sabe-se lá de onde surgem expressões que normalmente não fariam sentido nenhum, ou tem algum sentido completamente diferente daquele em que são usadas, mas o fato é que as gírias enriquecem a linguagem de tal forma que, em determinados casos, é impossível ser compreendido sem usar nenhuma.

No decorrer das décadas, muitas expressões se tornaram engraçadas para as gerações recentes, mas elas devem ter em mente que daqui a 30 anos, as gírias que elas falam também vão estar nessa situação para seus filhos e netos.

Veja aqui uma pequena lista de gírias usadas antigamente, divididas por décadas, e com a sua respectiva “tradução”. Algumas resistiram ao tempo e são usadas até hoje.

Anos 50
Bagunçar o coreto – arrumar confusão
Charlar – se exibir
Dor de cotovelo – inveja
Estróina – gastador
Fuzarca – farra
Mandraque – rapaz efeminado
Marcar touca – ficar sem ação, deixar passar uma oportunidade
Na boca de espera – quase conseguindo
Patavinas – absolutamente nada!
Tipão – homem atraente
Tirar uma chinfra – se exibir

Anos 60
Bacana – ótimo, legal
Barbeiro – motorista ruim
Batuta – pessoa boa
Bicho – amigo
Boa pinta – de boa aparência
Borogodó – charme
Brasa – coisa muito legal
Broto – garota bonita
Bulhufas – coisa nenhuma
Cafona – fora de moda
Cara – pessoa
Carango – carro
Chapa – amigo
Coroa – pessoa de mais idade
Dar mancada – não cumprir com o acertado
Dar o esparramo – dispersar
Dar tábua – recusar-se a dançar
De lascar – complicado
Duca – excelente
Lelé da cuca – doido
Morar – entender
Fogo na roupa – complicado, de difícil solução
Pão – rapaz bonito
Pacas – muito
Papo firme – conversa séria
Papo furado – conversa fiada
Patota – turma
Pindaíba – falta de dinheiro
Prafrentex – moderno
Quadrado – conservador
Sebo nas canelas! – apresse-se!

Continua após a publicidade

Anos 70
Barato – coisa boa
Barra limpa – certo
Barra pesada – difícil
Bidu – adivinhão
Boko Moko – ultrapassado
Careta – conservador
Chato de galocha – pessoa muito chata
Chuchu beleza – tudo certo!
Desligado – fora de si
Entrar pelo cano – se dar mal
Estar por dentro – ser bem informado
Falou e disse – eu concordo com o que acabou de dizer
Fera – pessoa que sabe tudo
Figura – pessoa excêntrica
Forçar a barra – provocar
Goiaba – bobão
Grilo – problema
Jóia! – ótimo!
Manjar – conhecer
Pagar sapo – se dar mal
Patota – turma
Russo – difícil
Tô contigo e não abro – confio totalmente em você
Trampo – trabalho

Anos 80
Arrasar – fazer sucesso
Azarar – paquerar
Caroço – chato
Chocante – muito bom
Detonar – falar mal
Do arco da velha – coisa muito antiga
Mala – pessoa chata
Massa! – legal!
Maneiro – muito bom
Numa nice – tudo está bem
Pegar leve – ir com calma
Pagar mico – dar vexame
Pentelho – pessoal muito chata, mais chata que o “mala”
Rachar o bico – rir muito
Rolar – acontecer
Viajar na maionese – imaginar coisas absurdas
Xavecar – paquerar

Anos 90
Antenado – ligado ao mundo à sua volta
Balada – festa
Brother – amigão
Patricinha – garota rica e mimada
Pintar – aparecer em algum lugar

Anos 2000
Bolado – surpreso
Buso, Busão, Busum – ônibus
Chapa quente – clima agitado
Cumpadi – amigo
Pisante – sapato, tênis
Popozuda – mulher de quadril largo
Responsa – responsabilidade
Tá dominado – sob controle
Tá ligado – entendeu
Valeu – obrigado
Véio, véi – amigo, pessoa, cara
X9 – dedo duro

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês