Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Corrida Por Marcos Paulo Reis Dicas sobre corridas para praticantes do esporte, por Marcos Paulo Reis.

Olhe por onde você corre

O asfalto está ali, disponível, a qualquer hora… E lá vai você, dia após dia, correndo e causando impacto ao seu corpo. Quem não fica atento pode se machucar, principalmente o entusiasmado iniciante que imagina que só existe a rua como possibilidade. Sabia que assim como variar os tênis que você usa é preciso variar […]

Por VEJA SP Atualizado em 27 fev 2017, 10h38 - Publicado em 28 Maio 2013, 18h39

FOTO: Latinstock

O asfalto está ali, disponível, a qualquer hora… E lá vai você, dia após dia, correndo e causando impacto ao seu corpo. Quem não fica atento pode se machucar, principalmente o entusiasmado iniciante que imagina que só existe a rua como possibilidade. Sabia que assim como variar os tênis que você usa é preciso variar os terrenos por onde você corre? Além de quebrar a rotina, é bom para trabalhar a estabilidade e a adaptação do corpo aos diferentes pisos, ajudando ainda a prevenir lesões. Conheça as características dos variados tipos e inclua-os regularmente em seus treinos:

Grama: é um piso de característica macia, já que as folhas e a terra servem como atenuante e geram maior amortecimento na hora da pisada. Indicado para treinos regenerativos. O problema podem ser os buracos ou obstáculos pelo caminho que provocariam tombos ou torções.

Pista de atletismo: é composta por camadas de borracha que permitem certo amortecimento sem comprometer a propulsão. Piso seguro também em função de sua regularidade na superfície, diminuindo bastante as chances de traumas. Excelente para treinos de ritmo e de tiro.

Esteira: nela é possível controlar a velocidade e o tempo, com a vantagem ainda de causar impacto menor que no asfalto. Perfeita para dias frios ou chuvosos. Mas para que não fique monótono, melhor que seja utilizada em dias de treinos não muito longos.

Cascalho (ou pedrisco): esse piso permite boa dissipação do impacto em função das pedras não estarem fundidas, como ocorre no concreto. Se tiver alguma pista ou trilha assim próxima a você, corra em dias de rodagem.

Areia: a fofa tem grande capacidade de absorção de impacto, mas também exige muito mais no momento da propulsão. Opte por ela se tiver como objetivo o desenvolvimento da capacidade de força na corrida.

Asfalto (rua): para essa superfície de característica dura, são indicados os treinamentos de velocidade e os longos de final de semana. Se for correr na rua mesmo, além de ter cuidado com o trânsito, fique atento para não ficar muito próximo ao meio-fio – o que pode sobrecarregar as estruturas ligamentares dos tornozelos e joelhos, principalmente do membro que está mais perto da calçada. Por ser o piso que está mais à disposição dos corredores, é também o mais utilizado. Mas procure variar para que o impacto constante não favoreça lesões.

Concreto: é o mais rígido dos pisos. Sua rigidez pode ser muito maior, comparada a um piso de borracha. Não é dos mais indicados para a corrida, principalmente as mais longas.

Continua após a publicidade

Publicidade