Imagem Blog

Arte ao Redor

Uma curadoria de exposições, cursos e novidades dos museus, galerias e institutos culturais de São Paulo
Continua após publicidade

O erro médico que marcou o parto d’OSGEMEOS; mãe relembra susto

"O obstetra ficou tão desnorteado que me deixou sozinha com a enfermeira", afirma Margarida Kanciukaitis, de 77 anos, genitora de Otávio e Gustavo Pandolfo

Por Tatiane de Assis Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
14 out 2020, 14h40

Na terça-feira (13), a dupla de artistas OSGEMEOS fez uma live junto com o curador Jochen Volz no perfil do Instagram da Pinacoteca. Em dado momento, a conversa foi interrompida pelo celular tocando. “É minha mãe”, Gustavo, um dos irmãos, avisou. A conversa com a matriarca não se concretizou, então ela ligou para o outro filho, Otávio. “Quando um não atende, ela liga para o outro”, contou Gustavo, que também disse: “Vou atender, mãe a gente tem que atender.”

Essa anedota mostra um pouco da relação entre dona Margarida, de 77 anos, e os caçulas. Quem a conhece, entende de onde vem a obstinação bem humorada da dupla. O desejo de fazer dar certo de um jeito leve também remonta de algum modo o parto dos “meninos”, que foi marcado por um erro médico.

Desenhos e fotos da infância: registro (à esq.) do aniversário de 1 ano dos irmãos (Alexandre Battibugli/Veja SP)

“Minha barriga estava muito grande, então o médico me pediu para fazer um exame. Ao olhar, disse que só tinha uma criança”, recorda Margarida, que não tinha ideia do susto que ia levar no parto: “Quando estava na sala de cirurgia, o médico puxou a placenta e veio outro menino, outra criança. O médico ficou tão desnorteado que me deixou sozinha com a enfermeira. Eles eram tão pequenininhos, todo mundo dizia que iam morrem”.

Estarrecida com o que havia acontecido, ela não teve cabeça para pensar em nomes para os rebentos. Gustavo foi então escolha de uma prima, chamada Dina, e Otávio apareceu na placa que informava o nome da via onde ficava a maternidade, a rua Tenente Otávio Gomes, na Liberdade.

Continua após a publicidade
Em família: com os irmãos, Arnaldo e Adriana, e a mãe, Margarida (Alexandre Battibugli/Veja SP)

Com tanta emoção envolvida, a dupla foi cercada de atenção não só pela mãe e pelo pai, Walter Pandolfo, já falecido. O irmão Arnaldo, que também lembra os dois fisicamente, os estimulavam a desenhar e mostrava os caminhos do rock progressivo. Além disso, ele tem uma ligação com a dupla que passa pelo inconsciente: “Nós três já tivemos o mesmo sonho, no mesmo dia”, diz Otávio em tom de surpresa, sem revelar o conteúdo da narrativa, fazendo jus ao título da exposição da Pinacoteca, OSGEMEOS: SEGREDOS. Adendo: na mostra haverá uma foto do aniversário de 1 ano dos irmãos, data mais do que especial, já que eles estavam vivos e muito bem.

A irmã, Adriana, também faz parte desse círculo de carinho e desde cedo ficava por perto dos caçulas “Mas era um cuidado mais maternal, eu queria até escolher a roupa deles”, explica ela. A união dos quatro se mantém hoje no ateliê d’OSGEMEOS. Arnaldo é quem cuida de detalhes de construção das engenhocas elétricas (ele tem formação técnica em mecânica). Adriana, formada em administração de empresas, é responsável pela contabilidade e organização da agenda dos dois. 

Os gêmeos Gustavo e Otávio Pandolfo: exposição SEGREDOS começa na próxima semana (15) (Alexandre Battibugli/Veja SP)

Ainda de olho na família da dupla, vale falar que os avós maternos, já falecidos, ainda se fazem presentes. Na primeira sala da exposição, por exemplo, haverá um blusão que a vó, Dorinda Marcílio, fez especialmente para os dois. A influência do vô, Albino Kanciukaitis (1918-2004), que amava música clássica e compositores a exemplo de Giacomo Puccini (1858-1924), é referenciada em uma instalação, desdobramento da exposição Vertigem, de 2008. Em uma das faces dessa obra, observa-se uma lua caída, com olhos nas cores da bandeira do Brasil, e um barco à deriva, em que se lê Koln, o nome da embarcação que trouxe o ancião para o Brasil, dando início à saga da família no país.

Mais detalhes da mostra mais aguardada do ano você na reportagem de capa da Vejinha.

Obrigada pela visita! Volte sempre e deixe seu comentário. Aproveite para conferir minhas postagens no Instagram.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.