Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Suzane von Richthofen revela detalhes inéditos do assassinato dos pais

Em entrevista a Gugu Liberato, a condenada a 39 anos de prisão confessou que ajudou a planejar o crime ao lado dos irmãos Cravinhos

Por Veja São Paulo Atualizado em 1 jun 2017, 17h02 - Publicado em 26 fev 2015, 01h46

 

A reestreia de Gugu Liberato na televisão na noite desta quarta (25), em um novo programa na Record, trouxe uma entrevista exclusiva com Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos próprios pais, em 2002.

+ Mulher de Suzane pode deixar a prisão

Encarcerada na penitenciária de Tremembé 1, Suzane contou detalhes inéditos do crime cometido com os irmãos Cravinhos, Daniel, seu então namorado, e Cristian. E confessou pela primeira vez que ajudou a planejar o duplo homicídio.

“Eu não sou a única mentora intelectual, foi uma concordância de ideias. Mas eu fiz parte, ajudei a planejar. O Christian é que sabia um pouco menos do que iria acontecer. E não foi decidido na véspera, foi planejado com antecedência.

Suzane também revelou que conheceu Daniel por intermédio da própria mãe, Marízia, quando tinha 14 anos.

Continua após a publicidade

Suzane von Richthofen
Suzane von Richthofen

“Ele era instrutor de aeromodelismo no Parque do Ibirapuera, meu irmão ganhou um avião e começou a fazer aulas. Minha mãe pediu para que eu fosse junto acompanhá-lo. Ali conheci o Daniel e começamos a namorar.

A relação, no entanto, não era aprovada por Marízia e o marido, Manfred.

“Eles eram contra e me proibiram de ver o Daniel. Mas eu era adolescente, me apaixonei, comecei a fazer muita coisa sem eles saberem, viajar escondido”, diz. “Daniel foi o primeiro e único homem que eu tive, ele me apresentou uma vida completamente desregrada, uma vida em que eu podia fazer tudo.

+ Confira as últimas notícias da cidade

Suzane também contou que chegou a receber ameaças de morte enquanto esteve presa em Ribeirão Preto e que o medo a fez desistir de acertar o regime semiaberto, oferecido no ano passado.

“Em Tremembé encontrei um lugar tranquilo e seguro. Se eu for para o regime semiaberto, terei que mudar para outro presídio, onde talvez eu não me sinta tão segura. Prefiro esperar que Tremembé adote o semiaberto”, explica.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês