Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Procuradoria da Câmara pede prisão de Danilo Gentili

Ação foi endereçada ao STF; caso ocorre após comentário do apresentador nas redes sociais

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 2 mar 2021, 18h36 - Publicado em 2 mar 2021, 18h35

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, recebeu um pedido de prisão para o humorista Danilo Gentili por um post no Twitter realizado na semana passada. Os advogados da Procuradoria Parlamentar da Câmara dos Deputados alegam que o humorista violou a Lei de Segurança Nacional.

Eu só acreditaria que esse País tem jeito se a população entrasse agora na Câmara e socasse todo deputado que está nesse momento discutindo PEC de imunidade parlamentar”, escreveu Gentili no Twitter, em post que posteriormente foi apagado. O caso ocorreu quando os deputados discutiam as regras para uma nova imunidade parlamentar, em uma votação que foi adiada.

De acordo com o pedido da Procuradoria, Gentili representa “ameaça à ordem pública” e compararam o caso com a invasão do Capitólio dos Estados Unidos, em meio a validação de Joe Biden como presidente dos EUA.

A Procuradoria pede também a abertura de um inquérito para investigar o caso. Na segunda-feira (1º) Gentili publicou nas redes sociais que o seu tuíte foi alvo de “justas críticas por alguns deputados”. Afirmou ainda que “quem me segue sabe que sempre defendi as instituições”. Procurado pela Vejinha sobre o pedido da Procuradoria por meio da assessoria de imprensa do SBT, o apresentador não se posicionou até a publicação do texto.

 

Continua após a publicidade
Publicidade