Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Saiba quais serviços vão parar durante a greve geral

Paralisação geral contra aprovação de reformas do governo Temer acontece nesta sexta (28)

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 26 abr 2017, 21h30 - Publicado em 25 abr 2017, 18h44

Centrais sindicais de todo o país convocaram para esta sexta (28) a uma greve nacional contra a aprovação da reforma da Previdência e das leis trabalhistas pelo governo Michel Temer (PMDB).

Saiba quais serviços deixarão de funcionar na data prevista:

Pilotos e comissários de voo

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) declarou estado greve (podem deixar de trabalhar a qualquer momento) em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Campinas. Uma nova reunião deve acontecer na quinta (27). O Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos também aderiu à greve.

Transporte

O Sindicato dos Metroviários, responsável pelas Azul, Vermelha, Verde e Lilás do Metrô, decidiu em assembleia que vai paralisar as atividades. Apenas a Linha 4-Amarela, privada, funcionará normalmente. Os representantes da CPTM comunicaram estado de greve nas linhas 7, 10, 11 e 12. Motoboys e motoristas de ônibus também aderiram à greve

Continua após a publicidade

Bancos

Agências bancárias de todo o estado estarão de portas fechadas no dia da greve.

Professores

Contrários às mudanças na Previdência Social, professores da rede estadual de ensino vão aderir à paralisação. Na última sexta (22), representantes dos professores, auxiliares e técnicos da rede particular  anunciaram que também irão parar nesta sexta (28).

Servidores municipais

A participação está confirmada pelo Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo (Sindsep)  desde o dia 11 deste mês. Em entrevista à Super Rádio AM, nesta terça (25), Doria afirmou que os funcionário que aderirem à greve terão o dia descontado.

Continua após a publicidade

Publicidade