Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Saiba como funcionarão serviços de transporte, saúde e educação na sexta

Ônibus serão afetados em 50% de sua frota e rodízio será suspenso novamente; coleta de lixo também não será realizada

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 24 Maio 2018, 19h17 - Publicado em 24 Maio 2018, 19h02

A Prefeitura de São Paulo informou que diante da continuidade da greve dos caminhoneiros está adotando uma série de medidas de contingência em relação aos serviços públicos. Confira abaixo como vão funcionar os sistemas de transporte, saúde e educação nesta sexta (25).

TRANSPORTES

A SPTrans informa que devido a falta de abastecimento de combustível para o sistema municipal de transporte a circulação dos veículos pode ficar afetada em cerca de 50 % da frota de ônibus da cidade.

Linhas Noturnas com operação de 50% da frota, equivalendo a:
– Linhas com intervalos de 15 minutos passarão para 30 minutos.
– Linhas com intervalos de 30 minutos passarão para 60 minutos.

Linhas Diurnas, considerando o mapeamento efetuado junto às empresas operadoras, estima-se uma redução da frota na ordem de 50% em todas as regiões.

Em razão disso, o rodízio municipal de veículos está suspenso novamente. A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes determinou que a SPTrans e a CET reforcem as equipes de rua para orientar os passageiros e motoristas sobre as mudanças.

No período de pico da tarde, a partir das 16h30, as empresas conseguiram manter 85% da frota prevista circulando, assegurando o máximo de atendimento para a população.

Em negociação mantida pela administração municipal com a Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos, ficou acertado que, à diferença do que ocorre normalmente, a CPTM e o Metrô vão manter 100% de suas frotas em operação no período de entrepico para compensar a ausência de parte dos ônibus.

Continua após a publicidade

COLETA DE LIXO

A AMLURB informa que a coleta de resíduos domiciliares (lixo comum e recicláveis) estará suspensa nesta sexta-feira (25). Diante disso, a prefeitura pede que os munícipes não coloquem o lixo para fora até a retomada da operação dos caminhões. Serviços críticos como a limpeza de pós-feiras, recolhimento de animais mortos e coleta de resíduos hospitalares, no entanto, serão executados normalmente. Os Ecopontos também estarão fechados. Os resíduos coletados nesses locais são encaminhados a aterros localizados em rodovias federais e estaduais, muitas delas bloqueadas pelos caminhoneiros, impedindo a chegada dos caminhões aos aterros. Os serviços de limpeza urbana como a varrição de vias e logradouros serão reduzidos.

SAÚDE

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo informa que todas as unidades estão funcionando normalmente e que, até o momento, não houve registro de falta de medicamento ou de outros insumos.

Com relação às ambulâncias, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-SP) informa que todas os veículos operacionais foram abastecidos estrategicamente entre a noite desta quarta-feira (23) e a manhã desta quinta-feira (24). Além disso, foi feita uma reserva de combustível para possíveis faltas e o abastecimento de ambulâncias reservas. Sendo assim, o serviço de atendimento do Samu-SP segue normalizado.

EDUCAÇÃO

A Secretaria Municipal de Educação informa que as aulas estão mantidas em toda a rede. A merenda escolar está garantida nesta sexta-feira. A partir de segunda-feira (28), no entanto, pode haver impacto na entrega de produtos perecíveis. Os demais insumos são mantidos em estoque e serão preparados normalmente. A partir de segunda também pode haver problemas na entrega do programa Leve-Leite.

“A prefeitura está empenhada em minimizar os transtornos causados pela greve e recomenda à população que evite deslocamentos desnecessários nesta sexta-feira”, informou, em nota.

Continua após a publicidade
Publicidade