Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Aulas presenciais podem retornar a partir desta quarta (7) no estado

Apenas 13% das instituições estaduais irão funcionar; já entre particulares, reabrem cerca de 80%

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 7 out 2020, 12h20 - Publicado em 7 out 2020, 10h43

Escolas públicas e privadas do estado de São Paulo podem reabrir suas instalações para aulas de alunos do ensino infantil ao superior a partir desta quarta-feira (7).

Apesar de todos os municípios poderem abrir as escolas porque todo o estado está há pelo menos 28 dias na fase amarela do Plano São Paulo, cada prefeitura pode decidir se vai ou não retomar as atividades. Caso a gestão municipal autorize, cada escola pode optar por retomar as atividades agora ou não.

Ao todo, 700 escolas estaduais estão abertas no estado de São Paulo, cerca de 13% do total. Foram 361 abertas nesta quarta, segundo o governo. As outras haviam sido abertas em 8 de setembro, quando a gestão autorizou a abertura das instituições para aulas de reforço, tutoria e atividades esportivas.

A rede estadual de ensino irá retomar apenas as aulas regulares do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A volta dos alunos do ensino fundamental só deve acontecer em 3 de novembro.

Na capital, as escolas podem oferecer somente atividades extracurriculares, como aulas de reforço, esporte, cultura ou laboratórios de informática a partir desta quarta. Somente alunos do ensino superior podem voltar neste momento. A decisão sobre a retomada total só será anunciada após resultado de inquérito sorológico. A previsão é de que isso ocorra após o dia 10 de novembro.

Nas escolas particulares, o índice de reabertura é de 80%, segundo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (Sieeesp). Cerca de 3 200 instituições de ensino, de 4 000, vão abrir as portas na capital paulista.

Continua após a publicidade
Publicidade