Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Ato pró-Dilma está programado para esta sexta (13) na Avenida Paulista

Manifestação ocorre em frente ao prédio da Petrobras na Avenida Paulista; governo pediu que evento fosse cancelado

Por Veja São Paulo Atualizado em 1 jun 2017, 17h01 - Publicado em 12 mar 2015, 20h34

Dois dias antes do ato a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff no domingo (15), trabalhadores e movimentos sociais promovem uma manifestação em favor do governo. Será nesta sexta (13), em frente ao prédio da Petrobras, na Avenida Paulista, a partir das 15h.

+ Protestos a favor do impeachment ocorrerão também fora do país

Entre outras organizações, fazem parte do protesto a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Federação da Agricultura Familiar do Estado de São Paulo (FAF-CUT/SP), o Movimentos dos Atingidos por Barragens (MAB), o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Central de Movimentos Populares (CMP) e o Levante Popular da Juventude.

Uma das principais bandeiras é a defesa da Petrobras, empresa que corresponde a 13% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Em comunicado, a CUT afirma que lutar pela empresa significa resguardar mais investimentos para diversos setores como a saúde e a educação. Os movimentos também cobram a punição dos envolvidos na corrupção da estatal.

Protesto Paulista
Protesto Paulista
Continua após a publicidade

Para evitar que os ânimos fossem acirrados em relação aos protestos marcados para 15 de março, o governo pediu à CUT que adiasse ou cancelasse o evento.

Um dos grupos responsáveis pelos atos de domingo, o Revoltados Online também pretende se reunir nesta sexta, na frente da Petrobrás em um “esquenta”. A Polícia Militar realizou uma reunião entre todos os organizadores e diz que “apesar de alguns grupos possuírem ideais antagônicas, todos estarão nas ruas pacificamente e não aceitarão nenhum tipo de violência em seus movimentos”.

+ Manifestação de domingo reunirá de “Menino do Jô” a “gay de direita”

A ideia foi abraçada pela própria presidente Dilma Rousseff e vários ministros do governo, que defenderam que emissários procurassem a central sindical para conversar, mas não obtiveram sucesso. A CUT avisou que o protesto está mantido.

Os atos contra Dilma programados para domingo (15) têm pelo menos 33 eventos criados no Facebook com 1,1 milhão de confirmados. O levantamento é da consultoria Bites, que mapeou os fluxos de informação nas redes sociais sobre os movimentos pró-impeachment. Os dados foram coletados até a última sexta (6), antes do pronunciamento da presidente em rede nacional e do panelaço.

+ Manifestações lembram Caras-pintadas de 1992

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês