Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Polícia investiga ação de “gangue das calcinhas” em lojas de São Roque

Um grupo de mulheres vem furtando peças de lingerie no interior

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 23 abr 2019, 17h55 - Publicado em 23 abr 2019, 17h32

A Polícia Civil investiga a ação de um grupo de mulheres que vem furtando peças de lingerie em lojas de São Roque, interior de São Paulo. Conforme a averiguação, a chamada “gangue das calcinhas” praticou ao menos quatro furtos, nas últimas semanas, no comércio da cidade. Em duas ocasiões, a ação da quadrilha foi gravada por câmeras de monitoramento. A suspeita é de que ao menos 400 itens tenham sido furtados, mas ainda não se sabe a destinação dada às lingeries.

A queixa mais recente foi registrada na Polícia Civil nesta segunda-feira, 22, pelo dono de um negócio. O furto aconteceu quatro dias antes, mas ele só tomou conhecimento após verificar o conteúdo das câmeras. As imagens mostram três mulheres que se passam por clientes enchendo sacolas com calcinhas e sutiãs. Uma quarta suspeita distrai a funcionária mais próxima. Segundo o proprietário, foram levados cerca de quarenta conjuntos, avaliados em 2 500 reais. O mesmo endereço havia sido alvo da gangue três semanas antes.

Um furto semelhante foi registrado por câmeras em uma loja situada na praça central da cidade. As imagens mostram a ação de duas mulheres. Uma terceira suspeita juntou-se a elas na saída da loja. Na segunda-feira, após a divulgação dos vídeos em redes sociais, a gerência de outro estabelecimento decidiu conferir as imagens do sistema de monitoramento e constatou um furto semelhante. O caso ainda não havia sido denunciado à polícia. Com base nas gravações, a Polícia Civil tenta identificar e prender as integrantes da “gangue das calcinhas”.

Publicidade