Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Morador vive 22 anos a mais em Pinheiros do que em Cidade Tiradentes

Dado é da pesquisa Mapa da Desigualdade 2021, realizado anualmente pela Rede Nossa São Paulo

Por Redação VEJA São Paulo 21 out 2021, 18h49

Um morador do Alto de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, vive cerca de 22 anos a mais do que um morador da Cidade Tiradentes, no extremo da Zona Leste de São Paulo. Esses são dados revelados pelo Mapa da Desigualdade 2021, estudo divulgado nesta quinta-feira (21) pela Rede Nossa São Paulo.

Em Pinheiros, a média de vida é de 80,9 anos. Já em Cidade Tiradentes, o número cai para 58,3 anos. A média geral da cidade de São Paulo é de 68,2 anos. O cálculo não é o mesmo da pesquisa de expectativa de vida, que projeta o número de anos que a população de um local deve viver caso sejam mantidas as mesmas condições de nascimento. 

Para esse estudo, calcula-se a soma das idades ao morrer dividida pelo número total de mortes. Depois, a rede estabelece o “Desigualtômetro”, que mede a distância entre o melhor e o pior indicador. Segundo a pesquisa, a crise econômica provocada pela pandemia de Covid-19 contribuiu para o aumento da pobreza e discrepância social na cidade. 

O Mapa da Desigualdade é desenvolvido pela Rede Nossa SP anualmente desde 2012. Ele compara dados públicos sobre os 96 distritos de São Paulo com objetivo de ampliar o acesso às informações e auxiliar na elaboração de políticas públicas.

Em outras métricas, sobre educação, saúde, habitação e mobilidade, sete dos dez bairros que aparecem com os piores índices estão localizados na periferia da cidade: Iguatemi, Parelheiros, Jardim Ângela, Brasilândia, Marsilac, Perus e Lajeado. Os melhores índices ficam para bairros como Moema, República, Vila Mariana, Itaim Bibi, Jardim Paulista, Pinheiros e Santo Amaro. 

+Assine a Vejinha a partir de 12,90.

Continua após a publicidade

Publicidade