Continua após publicidade

Mistérios da cidade: os peixinhos da 23 de Maio

O jardim de chuva, que abriga lebistes, dá função ecológica e antipoluente para a água que se acumulava na calçada da via

Por Sérgio Quintella Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
7 Maio 2021, 06h00

A calçada sempre molhada por água que brotava de sete minas deu lugar recentemente a novos jardins de chuva na Avenida 23 de Maio, entre os viadutos Dona Paulina e Brigadeiro Luís Antônio. No local, a Subprefeitura da Sé jogou dezenas de unidades de lebistes, peixinhos que ajudam no controle biológico de larvas de mosquitos. Também chamado de biovaleta, o jardim serve para conter a poluição deixada por carros, como restos de borracha dos pneus.

peixes lebistes no jardim de chuva da 23 de maio
(Alexandre Battibugli/Veja SP)

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 12 de maio de 2021, edição nº 2737

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.