Clique e assine por apenas 6,90/mês

Milton Gonçalves processa Paulo Betti por racismo

De acordo com jornal, desavença teria começado após mensagem de WhatsApp sobre o Sindicato dos Artistas

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 17 Jun 2019, 17h14 - Publicado em 17 Jun 2019, 17h13

Os atores Milton Gonçalves e Jorge Coutinho entraram com um processo contra o também intérprete Paulo Betti sob acusação de racismo.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, os três fazem parte de um grupo de WhatsApp chamado “Profissão Artistas”. Em 16 de abril, Betti teria mandado uma mensagem reclamando que o Sindicato dos Artistas estaria há muito tempo sob gestão de representantes negros.

“A atual diretoria do sindicato está lá há muito tempo e tem uma forte representação negra com Jorge Coutinho e o grande Milton Gonçalves, além do querido Cosme, isso complica bastante a luta, pois pode confundir as coisas”, teria escrito Betti.

Gonçalves e Coutinho ocupam cargos de presidente e diretor geral da entidade, respectivamente. Betti, de acordo com a reportagem, pertence a uma chapa adversária, que aspira o comando da agremiação.

Continua após a publicidade

Os advogados de Gonçalves e Coutinho entenderam que a mensagem de Betti possui “ambiguidade e dubiedade”, “denota interpretação imprópria e infeliz” e que faria “insinuação evidentemente maledicente”.

Ainda conforme a reportagem, Betti tem o prazo de quinze dias para apresentar sua defesa à Justiça. Em caso de condenação, o ator pode pegar de um a três anos de cadeia, além de ser obrigado a pagar uma indenização. Procurado por VEJA SÃO PAULO, Betti disse que vai se pronunciar publicamente só depois que responder à interpelação na Justiça.

Publicidade