Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

MBL acusa Juliette de fazer “showmício” pró-Lula e aciona MPE

Vereador de São Paulo Rubinho Nunes afirma que a artista fez campanha para o petista durante show em Caruaru

Por Hyndara Freitas Atualizado em 5 jul 2022, 14h53 - Publicado em 5 jul 2022, 14h49

O vereador de São Paulo Rubinho Nunes (União) e o pré-candidato a deputado estadual Augusto Zacarias, membros do Movimento Brasil Livre (MBL), acionaram o Ministério Público Eleitoral (MPE) contra Juliette Freire, cantora e vencedora do Big Brother Brasil 21.

De acordo com a representação, ela teria usado dinheiro público para fazer campanha antecipada e um showmício em prol do ex-presidente e pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

+ Comprimido contra a ressaca chega ao mercado

No último sábado (2), Juliette se apresentou no São João de Caruaru, em Pernambuco, uma festa realizada pela prefeitura da cidade. Durante a apresentação, a plateia entoou gritos de “olê, olê, olê, olá, Lula, Lula”. Na representação, os membros do MBL ainda destacam um show de 25 de junho, em Campina Grande, no qual também houve gritos semelhantes.

“O ato de campanha eleitoral antecipada é inegável. Ao incentivar o público a gritar termos como ‘olê, olê, olê, olá, Lula, Lula’, fica evidente o pedido explícito de voto e a manifestação eleitoral em favor do beneficiário Lula. Assim, resta incontroverso tratar-se a publicação sub judice de campanha eleitoral antecipada e irregular, motivo pelo qual deve ser imediatamente excluída e seus autores e beneficiários penalizados na forma da lei”, afirmam os políticos no documento.

“Foi realizado verdadeiro showmício, pago com verbas públicas, em favor do representado Lula, o que ofende frontalmente a legislação eleitoral, que veda a realização dessa forma de propaganda eleitoral durante o período de campanha oficial”, acrescentam. Caberá ao MPE abrir uma investigação sobre o caso e definir se houve ou não alguma infração eleitoral.

A lei prevê que, caso alguém faça campanha eleitoral antecipada, poderá pagar multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil. A propaganda eleitoral neste ano só é permitida a partir de 16 de agosto, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês