Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Rapaz de 17 anos morre ao ser linchado por pescadores em Guarujá

Kauan Silva estava com a esposa na Prainha Branca quando foi agredido por seis homens

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 17 ago 2020, 09h49 - Publicado em 17 ago 2020, 09h21

Kauan Silva, de 17 anos, foi morto por seis pescadores em Guarujá, no litoral de São Paulo, no fim de semana. A agressão começou após uma discussão na Prainha Branca. A esposa do rapaz, que preferiu não se identificar, contou que eles estavam a passeio na cidade.

Segundo ela, um pescador pediu que eles desmontassem a barraca em que estavam por causa da fiscalização. O casal e uma amiga disseram que iriam desmontar, mas antes foram até o mar para molhar os pés.

Momentos depois, o pescador voltou com outros cinco colegas e Kauan xingou um deles em voz baixa. Os seis homens começaram, então, a agredir o rapaz.

“Os seis agrediam ele com chutes e soco, e eu só vi meu marido no chão tentando se defender. Como fomos acampar, a única ‘arma’ que tínhamos era um canivete e feri um dos que estavam agredindo ele. Um deles me bateu com um pedaço de bambu, deu dois socos na minha amiga”, relatou a jovem ao G1. 

O estudante chegou a ser socorrido pelo Samu e levado ao Pronto Socorro, mas não resistiu. O grupo que o agrediu fugiu e ainda não foi identificado.

O caso foi registrado como lesão corporal seguida de morte na Delegacia de Guarujá.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade