Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

João Doria prorroga mais uma vez fase de transição em São Paulo

Regras para funcionamento e capacidade de público das atividades comerciais se estendem até o dia 15 de julho; toque de recolher também é mantido

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 23 jun 2021, 13h31 - Publicado em 23 jun 2021, 13h03

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (23) que prorrogou a chamada ‘fase de transição’ até o dia 15 de julho. Assim, os horários de funcionamento das atividades comerciais continuam os mesmos: até as 21 horas, com a permissão de 40% de ocupação. Anteriormente, as restrições iriam até o dia 30 de junho.

De acordo com João Doria, a decisão se dá por orientação do Centro de Contingência do Coronavírus. Os números de casos, internações e mortes pela Covid-19 no estado continuam em alta.

Permanecem liberadas as celebrações individuais e coletivas em igrejas, templos e espaços religiosos, desde que seguidos os protocolos de higiene e distanciamento social.

LEIA TAMBÉM: Governo de SP estuda obrigatoriedade de presença nas escolas em agosto

O toque de recolher continua nas 645 cidades do Estado, das 21h às 5h, assim como a recomendação de teletrabalho para atividades administrativas não essenciais e escalonamento de horários para entrada e saída de trabalhadores do comércio, serviços e indústrias.

Inicialmente, haveria flexibilização das regras no dia 1º de junho. Depois, a data foi postergada para o dia 14 de junho. Houve nova revisão e a data foi postergada para 30 de junho. Agora, as regras valem até o dia 15 de julho.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade