Curiosidades e destaques do bairro do Ibirapuera

O local é um oásis na cidade para quem gosta de exercício e natureza

Veja curiosidades e destaques da região da Zona Sul que batiza o parque mais frequentado de São Paulo, transpira atividades esportivas e ostenta empreendimentos imobiliários milionários.

O Boticário Acredite na Beleza apresenta #Belezaibirapuera:

No parque, o Viveiro Manequinho Lopes reúne mudas e sementes de diversos tipos (Divulgação/Veja SP)

Esta imagem foi escolhida pelos leitores de VEJA SÃO PAULO para representar a beleza da região. Inspire-se nela e poste também suas fotos usando a hashtag #BelezaIbirapuera

REFÚGIO FITNESS

Os amplos gramados do Parque Ibirapuera são um convite para movimentar o corpo. O lugar recebe cerca de 150 000 pessoas nos fins de semana e, nos dias úteis, quando a frequência é menor, boa parte dos visitantes se dedica a alguma atividade física. O melhor: muitas aulas e reuniões esportivas são gratuitas e abertas ao público. Confira uma seleção.

Corrida: a Nike promove um evento gratuito para corredores iniciantes e avançados toda terça. Inscrições em www.nike.com.br/running/nrc.

Ioga: desde abril, o Home Yoga Inbound oferece aulas abertas aos domingos na Praça da Paz, a partir das 10 horas da manhã.

Mahamudra: a malhação que mistura ioga, artes marciais e exercícios com o peso do corpo nasceu em meados de 2013 em encontros no parque.

Meditação: uma vez por mês, a Meditação da Lua Cheia junta interessados na modalidade.

Vôlei, basquete e handebol: vários grupos se revezam no acesso à quadra poliesportiva.

Swordplay: nessa atração inusitada, jogadores munidos de armadura e espada de espuma se reúnem aos domingos atrás do auditório.

CASA DO POVO

Fachada da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Renato S. Cerqueira/FuturaPress/Veja SP)

Pátio do Colégio, Praça João Mendes e Palácio das Indústrias. A Assembleia Legislativa de São Paulo passou por várias sedes antes de ser transferida para o Palácio 9 de Julho, inaugurado em 1968, no terreno em frente ao portão 10 do Parque Ibirapuera. O projeto de linhas retangulares e inspiração modernista leva a assinatura dos arquitetos Adolfo Rúbio Moraes e Fábio Kok de Sá Moreira.

NUDEZ COLETIVA 

Pessoas posando nuas para o fotógrafo americano Spencer Tunick (Patricia Santos/Veja SP)

O parque costuma sediar eventos nos quais a roupa figura como a grande estrela, como os encontros geeks de cosplays e a São Paulo Fashion Week. Mas nem sempre é assim. Em 2002, aproximadamente 1 100 voluntários ficaram nus no gramado para uma sessão do fotógrafo americano Spencer Tunick. O projeto integrava a 25ª Bienal de São Paulo.

ARTE NO ANTIGO DETRAN 

Obra no MAC Ibirapuera (Fernando Lemos/Veja SP)

Em 2012, o Museu de Arte Contemporânea (MAC) ganhou nova casa — antes ficava na Cidade Universitária, no Butantã. Agora ele ocupa o prédio da Avenida Pedro Álvares Cabral onde até 2009 funcionava o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O acervo contém mais de 10 000 obras de arte. Entre os destaques, há trabalhos de Pablo Picasso, Anita Malfatti, Amedeo Modigliani e Lygia Clark.

QUADRA MÚLTIPLA

Apresentação de André Rieu com a Orquestra Johann Strauss, no Auditório do Ibirapuera (Priscila Castilho/Veja SP)

O Ginásio do Ibirapuera também integra o complexo projetado por Oscar Niemeyer, que inclui o parque vizinho. Em sessenta anos de existência, o endereço recebeu atletas de alto calibre, como o boxeador Muhammad Ali, e shows de bandas internacionais como Van Halen e Genesis. O recorde de público foi alcançado em 2012, quando uma temporada de 24 espetáculos do violinista holandês André Rieu atraiu 120 000 pessoas ao local. Uma das próximas grandes atrações da agenda, em setembro, é o Harlem Globetrotters, a equipe de basquete americana que mostra suas habilidades em apresentações.

TESOURO IMOBILIÁRIO

O bairro do Ibirapuera ostenta o título de segunda região mais cara de São Paulo. Perde apenas para o Itaim Bibi, de acordo com o Secovi-SP, o sindicato da habitação:

39 milhões de reais é o preço do imóvel mais caro à venda no pedaço, uma cobertura de 822 metros quadrados

23 607 reais, em média, é o custo do metro quadrado de um imóvel residencial na área

UMA MEGACORRIDA

23ª Maratona de São Paulo (Shibuya/MBraga Comunicação/Veja SP)

Considerada a segunda maior do Brasil, a Maratona Internacional de São Paulo começa e termina nos arredores do Ibirapuera. Corredores de várias partes do mundo competem em cinco categorias, que vão dos duríssimos 42,1 quilômetros de prova a uma caminhada de 4 quilômetros. Em abril, a atração reuniu mais de 18 000 atletas. A 24ª edição está programada para 8 de abril de 2018. As inscrições custam 97 reais em preço promocional até 24 de agosto. yescom.com.br/2018/maratonadesaopaulo.

PODERIA SER, MAS NÃO FOI

Projetos que, se tivessem (ou não) virado realidade, mudariam a cara do pedaço

Parque Michael Jackson: em 2009, um projeto do então vereador Agnaldo Timóteo quis rebatizar o parque em homenagem ao rei do pop. Foi vetado.

Obelisco da discórdia: o monumento em homenagem à Revolução de 1932 só foi inaugurado após a morte, em 1954, do presidente Getúlio Vargas, alvo principal do conflito.

Sem Niemeyer: o arquiteto só foi convidado para projetar o complexo após um desentendimento entre a equipe original, formada por Rino Levi e outros profissionais.

Ares de Jockey Club: a proposta inicial para o parque, criada pelo alemão Reynaldo Dierberger, previa hípica, cassino e um teatro aberto em estilo art déco.

MEMÓRIA BANDEIRANTE 

O Monumento às Bandeiras no Ibirapuera com protetores auditivos (Renato S. Cerqueira/FuturaPress/Veja SP)

Chamado de “empurra-empurra” ou “deixa que eu empurro” por muita gente — pois somente duas figuras parecem mover a canoa da escultura —, o Monumento às Bandeiras foi inaugurado em 1953, um ano antes da abertura do parque em frente. De lá para cá, virou alvo de protestos e homenagens e ganhou intervenções divertidas, como quando as estátuas amanheceram com protetores de ouvido, numa campanha contra a poluição sonora, em abril. O escultor Victor Brecheret demorou quase trinta anos para concluir a obra e, curiosamente, deu o próprio rosto a um dos personagens.

FESTA DE ARROMBA

Inauguração da primeira escada rolante da cidade (Arquivo histórico Wanda Svevo - Fundação Bienal de São Paulo/Veja SP)

Em 1954, o Palácio das Indústrias (hoje Pavilhão da Bienal) recebeu com pompa a primeira escada rolante de São Paulo, que segue no local sob manutenção da mesma empresa. A festa de abertura do parque, aliás, teve uma porção de cenas memoráveis, como convites lançados de avião por toda a cidade e chuva de papel metálico picado que inspirou o Dadinho, doce então lançado em homenagem aos 400 anos de São Paulo.

CAMPEÃO VIRTUAL

O Parque Ibirapuera pode até não ser o maior, mas é o mais frequentado e fotografado destino turístico de São Paulo. Confira alguns números:

550 000 fotos foram publicadas com a hashtag #ibirapuera no Instagram.
30 000 comentários sobre o parque aparecem no TripAdvisor, o maior site de viagens do mundo.

Veja também
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s