Especialistas dão dicas para aproveitar melhor as festas de fim de ano

Bem-humorado, o script deixa claro quais são as ações educadas a se fazer

No meio do ano, entre acirradas disputas nos grupos do WhatsApp (e fora deles), a turma mais cética já começou a disparar: “Imagina o Natal deste ano”. A preocupação virou meme na internet e o bom humor mostrou- se o melhor antídoto contra a desunião. As possibilidades de reconciliação são muitas: happy hour, festa da firma, churrasco com piscina, amigo secreto da turma do colégio, ceia, réveillon, ufa! Para que você aproveite melhor a época do ano com mais celebrações, convocamos um time de treze especialistas em festa para garantir que a sua alegria seja compartilhada e multiplicada. Na seleção de dicas, há trilhas sonoras infalíveis — Sandra Rosa Madalena e Pintura Íntima são hits festivos onipresentes na Liberdade, de acordo com os organizadores do Campeonato Mundial de Karaokê — e formas de puxar papo com os colegas de outras áreas na confraternização corporativa. “Não tente se adaptar, dá tudo errado quando você finge ser outra pessoa”, alerta a apresentadora e palestrante Rafa Brites. A felicidade é garantida com soluções para uma ceia à prova de intolerâncias alimentares, formas de acertar na escolha de drinques e vinhos para o calorão de dezembro e também simpatias comestíveis. Nada disso faria sentido, porém, se não fossem as pessoas queridas ao redor da mesa para compartilhar os bons momentos. Então prepare as piadinhas sobre o pavê e bom brinde!

 (Attílio/Veja SP)

PÉ NA JACA SEM STRESS

Ceia à prova de intolerâncias

Ficar vendo os outros comer sem poder fazer uma boquinha é algo bem frustrante. Mas dá para adaptar uma ceia com mudanças extremamente simples. “Na farofa, troque a manteiga pelo azeite e evite a lactose”, afirma Alana Rox, apresentadora do Diário de uma Vegana, no GNT.

Um brinde ao fim da ressaca

A dor de cabeça pós-festa pode até parecer inevitável, mas não é. “Mais importante que a quantidade é a qualidade”, jura o melhor bartender de 2018, Alexandre d’Agostino, do Apothek. “Uma escolha segura é o gim de produção nacional, que teve um boom de qualidade.” Já separe os copos.

Simpatias comestíveis

“Coma lentilhas!”, exclama a chef Ana Soares, do Mesa iii. “Elas são ligadas à abundância, à germinação.” Superstição boa também inclui prato principal. “No Natal, coma aves, porque elas ciscam para trás e deixam as coisas ruins no passado. No Ano-Novo, o bom é porco, um bicho que fuça, enfia a cara e vai para a frente.”

 (Attílio/Veja SP)

BANQUETE OSTENTAÇÃO

Vinho no calorzão de dezembro

Nada impede que o melhor do verão seja tomar um vinhozinho para se refrescar. “O Porto se transforma em um ótimo drinque com um pouco de gelo e tônica”, conta Alexandre D’Agostino. “Os fãs do tinto podem apostar em um pinot noir, mais delicado”, completa o bartender. Só não vale derrubar a taça na piscina.

Como reconhecer um bom panetone

A sobremesa mais famosa desta época entrega logo se é deliciosa. “O cheiro fresco e a massa macia são sinais de qualidade”, afirma Mariana Gorski, da Confeitaria Dama. Dica importante: coma rápido. “Por ser uma mistura de pão com bolo, ele endurece se ficar aberto e demorar para terminar.”

As sobras que rendem bons pratos

Um prazer que só quem é “de casa” tem: almoçar no dia seguinte o que restou do jantar. “O segredo é adaptar. Fatiar o tender e colocá-lo num pãozinho com chutney fica sensacional”, diz Carlos Siffert, consultor da Casa Santa luzia. “Não precisa mudar nada na rabanada. Ela amanhecida fica só mais gostosa mesmo.”

 (Attílio/Veja SP)

DUELOS TÍPICOS

Vale trocar noz por avelã?

Resposta curta e grossa? Vale — e muito, na verdade. “A avelã ficou bem mais acessível. está até mais barata que a noz, me assustei”, conta Rita Atrib, banqueteira do Petit Comité. “É um sabor superdelicado a que as pessoas não estão acostumadas. Uma surpresa para o bem.”

Pernil engorda mais que peru?

No ringue alimentício há discordâncias sobre qual é mais gostoso, a ave ou o porco. Mas quando estamos falando de balança, no entanto, temos um campeão. “O pernil tem cinco vezes mais calorias que o peru”, afirma Durval Ribas Filho, presidente da associação Brasileira de nutrologia. O pedaço suíno também é mais prejudicial quando você pensa no seu coração “Os dois tem gorduras saturadas, mas o pernil muito mais”, completa Durval, se referindo à substância que aumenta alavanca seu colesterol – e potencializa as chances de um infarto. 

Uva-passa, a polêmica

Se tem algo que pode causar climão à mesa é a uva-passa, o elemento mais odiado (e amado) do fim de ano. “Lá em casa, eu amo e meu marido odeia. Minha saída foi fazer pratos mais universais: um arroz com açafrão, limão ou branco mesmo”, conta Rita Atrib.

Sidra ou Champagne?

A disputa pelo posto de primeiro gole do ano está relacionada à qualidade da bebida em si. “Depende de qual sidra estamos falando. Se for uma sidra muito barata, pode desconfiar”, afirma D’Agostino. Se puder, invista contra a dor de cabeça.

 (Attílio/Veja SP)

ETIQUETA ANTIARREPENDIMENTOS

Como evitar a timidez em ambientes cheios de gente

A happy hour pode não ser tão feliz se você estiver se sentindo desconfortável. Mas, calma, é normal essa sensação e dá para melhorar. “Fale sobre assuntos que lhe interessam, isso vai deixá-lo à vontade”, aconselha Rafa Brites, apresentadora e palestrante do workshop Transformando Sonhos em Realidade. “Claro que parece mais fácil para o cara do marketing do que para o de T.I., mas não: o melhor das confraternizações é justamente a diversidade. Não tente ser outra pessoa”, completa Rafa.

Formas de puxar assunto sem entrar em polêmicas

Imagine a cena: reunião de fim de ano da firma. Todos os seus chefes (e subordinados) no balcão do bar. O ideal é evitar alguns tópicos, certo? “É necessário traçar um mapa de temas proibidos durante a festa”, diz Michel Alcoforado, antropólogo, presidente da consultoria Consumoteca. “Você pode até falar sobre viagens (assunto que costuma não dar tanta briga), mas quando esse não for o tema, pense que a conversa é sobre… jiló! Você consegue conviver com o outro, independentemente se ele ama ou odeia o tal legume”, completa.

Micos que é melhor evitar na festa da firma

Uma pesquisa da empresa de marketing OnePoll revelou que um em cada três funcionários vai fazer algo de que se arrependerá na festa da firma. O segredo é lembrar que a confraternização empresarial é, antes de mais nada, empresarial. “Não é porque é open bar que você está lá para beber; você está lá para se integrar”, afirma Maria Thereza Rubim, especialista em comportamento organizacional e gestão de pessoas do Mackenzie. “É muito importante ter respeito com os outros. Por mais que sejam seus amigos, ali eles são seus colegas de trabalho.”

 (Attílio/Veja SP)

COMPRAS SEM CONSUMISMO

O que escolher para o seu amigo secreto

Dar vale-presente é a saída mais preguiçosa que há. Não faça isso. “Um curinga é um kit. Pegue um pote, enfeite com adesivos, passe numa farmácia e vá enchendo com pequenos produtos: hidratante de mãos, esmalte, protetor solar… Vai ser extremamente útil”, afirma Karina Milanesi, do canal Dica da Ka, no YouTube.

Decoração baratinha

Fazer uma festa e não postar no Instagram é como ir a Paris e não ver a Torre Eiffel. Para economizar, o segredo é mirar em elementos pequenos, porém marcantes. “As luzinhas na cabeceira da cama ou mesmo no sofá já dão um clima bem legal”, ensina Karina.

Inspirações para cartões emocionantes

Você consegue fazer melhor do que um simples “Boas Festas”, e há técnicas para ajudar. “Reveja fotos e ouça músicas que lembrem a pessoa, para se inspirar”, diz Rodrigo Fonseca, presidente da Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional. Frases como “Você é muito importante para mim” agradam qualquer coração.

 (Attílio/Veja SP)

AMOR EM FAMÍLIA

Para espalhar positividade

Em vez de produtos, que tal desejar que as pessoas estejam mais ligadas umas às outras? “Desejos estão ligados a sonhos, geram emoções”, afirma Fonseca. “Você pode pedir para receber elogios verdadeiros das pessoas que o rodeiam, abraços longos e até bilhetes que destaquem suas qualidades”, completa.

Metas para cumprir de verdade

Não adianta colocar num papel que você quer perder 5 quilos, guardar na gaveta e nunca mais pensar nisso. “O ser humano é movido por emoções. É preciso criar uma conexão com os objetivos”, diz Fonseca. É importante também pensar em metas realistas, para não ficar frustrado. A vida não precisa ser um comercial de peru.

Músicas contra qualquer climão

Se quem canta realmente os males espanta, a música pode ser uma arma secreta. O segredo? Sucessos universais. “Cante Evidências! Ela foi a música mais tocada nos karaokês brasileiros neste ano, e consegue juntar todo mundo”, diz Izabel Nori, da organização brasileira do Campeonato Mundial de Karaokê.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s